Desonestidade intelectual

artistas_com_dilma_manifesto
Ainda que eu não entenda a lógica perversa em se apoiar alguém que destruiu o país, procuro respeitar a opinião e a preferência de quem quer que seja. O que eu não aceito é a desonestidade intelectual.
Estou me lixando para o que Chico Buarque, Gilberto Gil, Veríssimo, Roberto Carlos ou Fernanda Torres e outros   pensem sobre Lula e sua quadrilha. O que eu acho desonesto, hipócrita e uma manifestação de profundo mau caratismo é ver pessoas como eles atacando o juiz que investiga, que pune e coíbe a corrupção, criminalidade e abuso de poder.
Apoiar uma ideia é adotá-la para si integralmente. Apoiar um grupo que invade um laboratório privado, que destrói anos de pesquisa e investimento é assentir com a ideia de que esse grupo pode fazer o mesmo com suas casas, seus feudos e sua família. Porém, o que é deles tem que ser mantido, perpetuado e aumentado.
A eles interessa uma sociedade ignóbil, sem reação ou seguidores torpes. Verissimo, por exemplo, é um escritor medíocre; Fernanda Torres é uma atriz medíocre e seu ingresso nas artes literárias mostrou uma tentativa risível de imitar o estilo irreverente da outra Fernanda, a Young. Eu não gastaria um centavo naquele livro, mas respeito profundamente quem comprou. Cada um lê o que bem entende.
Chico e Gil já não produzem música há muito tempo. Os livros de Chico dão engulhos a quem foi além do Pequeno Príncipe, e Roberto Carlos, bem, esse dispensa qualquer argumento. E por aí vai, mas não fica só nesse grupelho que esperneia para manter intacto o status quo.
Não largam o osso mas não se mudam para Cuba ou Venezuela. Empregam grande parte dos cachês em apartamentos em lugares civilizados e bem aprazíveis. Viajam o mundo, absorvem cultura, mas exaltam as favelas brasileiras, lugar bom de morar, seguro, limpo e com toda infraestrutura, inclusive de saneamento básico (será???) desde que seus filhos estejam bem protegidos em fortalezas muito bem construídas, escolas bilíngues e médicos de primeira.
Quero ver os filhos da Fernanda Torres na escola da favela, o MST invadindo a casa do Verissimo, destruindo textos inéditos, tapetes caros e fazendo cocô em sua cadeira predileta. Quero ver as filhas do Chico Buarque trabalhando, e não penduradas em papéis medíocres e mal interpretados, só porque são as filhas de Chico.
Quero ver Gilberto Gil, sua mulher e filhos, sobretudo a que faz papel de babaca na GNT marcando check-up pelo SUS. Quero que a remuneração dessa gente empedernida seja a renda de shows, discos e peças, e não verbas milionárias da Lei Rouanet, porque esse dinheiro tem que ser destinado à saúde e educação.
Sem isso, é discurso vazio de quem pratica o faça o que eu mando, mas jamais ouse chegar aonde eu cheguei.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *