Lewandowski jamais deveria estar no STF

blog-884
O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, enviou ofício nesta quinta-feira (7) ao juiz Sérgio Moro pedindo informações sobre atos que permitiram e divulgaram gravações de conversas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva com diversos políticos, dirigentes partidários e sindicais nas investigações da Operação Lava Jato.
O pedido decorre de uma ação protocolada na última terça-feira (5) na qual advogados do petista pedem a anulação da validade, como prova, das gravações.
Caberá a Moro explicar ao STF os fundamentos da decisão de gravar e autorizar a divulgação das conversas. Assim que notificado, ele deverá prestar as informações em até 48 horas.
A defesa de Lula aponta “usurpação de competência” por parte de Moro, afirmando que ele retirou o sigilo das gravações de forma indevida, já que havia autoridades com o chamado foro privilegiado nas conversas, como o ex-ministro Jaques Wagner (na época na Casa Civil), por exemplo, que só podem ser investigadas pelo STF.
Recapitulando: Lewandowski, amigo pessoal da família de Lula, adotou postura que mais parecia a de advogado de defesa durante o julgamento do mensalão. Desde então sua presença no STF é uma mancha à imagem de independência da instituição.
Como reação espontânea, a sociedade resolveu criar bonecos do ministro do STF também, como já tinha feito com o Pixuleco de Lula, ou com bonecos de Dilma e Eduardo Cunha. Mas mexer com o todo-poderoso ministro do STF não pode! Aí a liberdade de expressão vai para as cucuias. Eis o que acontece nesse caso:
O Supremo Tribunal Federal (STF) pediu quarta-feira (6) à Polícia Federal investigação e responsabilização de manifestantes que inflaram bonecos alusivos ao presidente da Corte, Ricardo Lewandowski, e ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, de forma crítica, durante ato na Avenida Paulista, no último dia 19 de junho.
O ofício é assinado pelo secretário de segurança do STF, Murilo Maia Herz – subordinado a Lewandowski – e endereçado ao diretor-geral da PF, Leandro Daiello.
No documento, Herz pede, “em caráter de urgência”, medidas para que os responsáveis por inflarem os bonecos sejam “chamados à responsabilidade” e que a PF empenhe “todos os esforços” para interromper “nefasta campanha difamatória contra o Chefe do Poder Judiciário, de maneira a que esses constrangimentos não mais se repitam”.
Até quando Levandowski vai permanecer no STF? Ele jamais deveria estar lá, pois, assim como Dias Toffoli, ele é próximo demais da turma petista. No mínimo, ambos deveriam ter se recusado a julgar o PT nos casos do mensalão e petrolão. Mas não o fizeram. E continuam dando sinais de partidarismo e também autoritarismo, como no caso dos bonecos. É um STF maculado, o que nunca é bom para o país.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *