Bolsonaro sob ataque por todos os lados: medo de 2018?

blog-826-1024x512DF – SENADO/BOLSONARO – POLÍTICA – O deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) é visto no plenário do Senado, em Brasília (DF),
nesta terça-feira. 11/02/2014 – Foto: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDO

Já vimos aqui como a decisão da primeira turma do STF, no caso envolvendo Maria do Rosário, pareceu arbitrária e seletiva. Bolsonaro virou réu por “apologia ao estupro”, ele que quer castrar quimicamente estuprador, enquanto vários esquerdistas que defendem redução de pena, até para estuprador, são vistos como defensores dos “direitos humanos”.
Agora temos essa outra notícia:
O Conselho de Ética da Câmara dos Deputados instaurou nesta terça-feira processo por quebra de decoro contra o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ). A ação é motivada pela homenagem feita pelo controverso parlamentar durante a votação do impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff, quando reverenciou o torturador Carlos Alberto Brilhante Ustra, um dos maiores símbolos da repressão na ditadura militar.
A representação contra o deputado foi apresentada pelo Partido Verde. Na ação, a legenda sustenta que Bolsonaro tem o direito de expressar suas preferências e simpatias, mas não pode fazê-lo de modo a enaltecer crimes ou criminosos, e classificou as declarações como uma “verdadeira apologia ao crime de tortura”.
Durante a votação do impeachment de Dilma, Bolsonaro subiu à tribuna e bradou: “Em memória do coronel Brilhante Ustra, o pavor de Dilma Rousseff, o meu voto é sim”, disse. Dilma foi uma das vítimas do coronel mencionado pelo deputado fluminense durante a ditadura.
Que a menção ao coronel Ustra foi infeliz, isso foi. Ao menos do ponto de vista político. Mas será que o Partido Verde acha normal elogiar guerrilheiros comunistas, ditadores assassinos? Pois foi justamente o que fez mais de um deputado de esquerda. Até o porco terrorista Marighella foi enaltecido. A fala de Bolsonaro veio depois, como uma espécie de reação ao show nefasto dos comunistas.
Mas citar guerrilheiros assassinos, terroristas comunistas, ditadores socialistas, isso não tem problema, segundo o Partido Verde (ou melhor, Melancia, pois pode ser verde por fora, mas é vermelho por dentro). É esse duplo padrão que mata. É essa seletividade arbitrária que enlouquece. É esse salvo-conduto concedido à esquerda que nos deixa tão indignados.
No fundo, fica parecendo que estão todos apavorados com a assombração Bolsonaro nas eleições de 2018. Enquanto a esquerda definha, tendo que contar com um raivoso enlouquecido como Ciro Gomes, que comete, esse sim, um crime ao defender o desrespeito à decisão da Justiça de prender Lula, caso ocorra, a direita só faz crescer. E isso tem gerado um verdadeiro pânico nos esquerdistas. É isso que está por trás de tantos ataques seletivos? É tudo por conta do medinho?

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *