O pós-Bolsonaro

Foto: Google Imagens – DCM – Diário do Centro do Mundo

Mourão pode ser ainda pior

Elio Gaspari fez a pergunta que não quer calar: “Fora Bolsonaro. Mas para quê?”.

Para nos livrarmos do pior, mais odioso e incapaz presidente da nossa história, já seria um motivo nobre. Mas também pode dar em algo, ou alguém, pior do que ele.

A estupidez e a insanidade mental são os maiores inimigos de Bolsonaro, mas ele poderia ser ainda mais maligno se fosse inteligente e preparado e com a mesma cabeça golpista, paranoica e autoritária nostálgica da ditadura. Um falso liberal econômico, nacionalista e estatizante, um falso anticorrupção que acabou com a Lava-Jato. A inteligência voltada para o mal é pior do que a burrice.

Nos livrarmos dos filhos dele também seria um bônus de alívio. Bolsonaro gosta de dizer que “não há corrupção no meu governo”. Só na sua família. E nele mesmo, desde os tempos de deputado, como um patriarca da rachadinha, quando iniciou uma bela amizade com o Queiroz, que passaria de pai para filho, como as velhas babás.

Digamos que o poder passe, pacificamente, ao general Mourão, que fez até agora o papel de “good cop” enquanto Bolsonaro ficava de “bad cop”, dando a impressão de que Mourão, além de mais inteligente e educado, era mais razoável e democrático do que o tosco Bolsonaro, que o odeia e teme, e por quem Mourão tem total desprezo.

Por ser mais inteligente e articulado, com experiência de comando e prestígio nas Forças Armadas, Mourão pode ser ainda pior que Bolsonaro, porque tem a mesma nostalgia da ditadura, o nacionalismo estatizante, o militarismo autoritário. Talvez na guerra cultural, que não o interessa, seja um pouco menos nefasto que Bolsonaro. Ao menos Mourão não tem filhos na política.

Mas, se tiver dificuldade de enfrentar crises econômicas e políticas graves, sem apoio parlamentar, tem mais condições de, “em nome da democracia e contra o comunismo”, partir para um governo de força, apoiado por militares e empresários, ou se for ameaçado pela ascensão de qualquer força política de oposição capaz de vencer a eleição. O Brasil sempre pode piorar.

Fonte: O Globo

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *