O amigo liberal

Foto: Google – BBC

Prometi a mim mesmo que daria um tempo sem falar nele e suas sandices, para não engrossar a repercussão: ele vive disso. Se ele pode dar uma banana para os jornalistas, também podemos dar outra para ele. Não, eu não vou falar nele. Mas tenho um amigo que só pensa naquilo. Nele. E me mandou alguns pensamentos:

Nelson Rodrigues tinha uma curiosa definição para um tipo de machão grosseiro e estúpido, mas mesmo assim vaidoso e cheio de si: “Era um centauro metade cavalo –  e a outra também.” Não por acaso, o apelido do capitão no Exército era “Cavalão”, e não só pelo porte equino, mas por seu intelecto e personalidade. Apelido é destino.

Às vezes o cara parece burro e totalmente irresponsável, às vezes parece calculista e dissimulado. Meu amigo está preocupado: se na sequência da manifestação pró-Bolsonaro se seguirem manifestações contra ele não poderia haver melhor pretexto para uma repressão violenta. “Isso aqui não é Chile não, tá ok? ”

Os devotos dizem que ele é apoiado por 57 milhões de brasileiros, como se a eleição tivesse sido ontem. Na real, em todas as pesquisas, ele é apoiado por um terço da população, enquanto um terço, e não só a esquerda, o detesta. São esses 33% de centro, ou arrependidos, ou decepcionados ou enganados, o fiel da balança. O frágil equilíbrio.

Também o preocupa a militarização no Planalto. No caso de um golpe militar, que talvez o capitão pense que poderá dar “se necessário”, com o apoio das lideranças militares, boa parte do governo já está formada, e fardada. Um modelo, quem diria, de Hugo Chávez.

Meu amigo está perplexo. Não entende como um cristão, um crente, um devoto de Cristo, pode ter tanto desprezo pelo próximo,ser tão ímpio e vingativo, usar uma linguagem tão violenta e pornográfica.

Uma estranha forma de seguir as leis de Deus e os ensinamentos de Jesus Cristo. Ou talvez ele imagine que Jesus, além de o salvar da facada, está ao seu lado contra seus inimigos, que, na sua paranoia, são todos que não concordam com ele.

Pronto. Não falei.

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *