Verdades e mentiras


Nem sempre as coisas são o que parecem. Há mentiras que parecem verdades e há verdades que parecem mentiras.
O procurador Deltan Dallagnol fez algumas declarações que me causaram surpresa. Acusa o presidente Bolsonaro de ameaçar o combate à corrupção. Indiretamente, acusa também Sergio Moro, como se o Ministro da Justiça fosse conivente com esse plano macabro. Deltan também lamentou publicamente que a “esquerda” não quis abraçar o combate à corrupção.
Bem que Deltan tentou convencê-la. Em 2017, num encontro organizado por Randolfe Rodrigues (Rede-AP), que o definiu como “quase clandestino”, segundo matéria de O Globo, o procurador foi levado ao apartamento de Caetano e Paula Lavigne, de frente para o mar na Avenida Vieira Souto, em Ipanema, no Rio. A ”elite” da esquerda caviar esteve presente. Para discutir a conjuntura “política”.
Para quem não se lembra, Randolfe, ex-PT, ex-PSOL, juntamente com Lewando e Renan Calheiros , fez parte do complô que manteve os direitos políticos de Dilma, rasgando e jogando no lixo a constituição.
Como se tudo isso não bastasse, não ficou claro para mim por qual motivo a força tarefa da Lava Jato em Curitiba não quis, de jeito nenhum, fechar o acordo de delação premiada de Antonio Palocci. O acordo, felizmente foi fechado pela Polícia Federal e o escândalo que começa a se desenrolar parece ser bem maior do que o do “petrolão”. Ao que parece, repito, envolve banqueiros e a mais alta cúpula do Judiciário.
Até eu conseguir entender o que está acontecendo, não participarei das manifestações de amanhã. Confio inteiramente no Ministro Sergio Moro.
Também acho duvidosa essa frente de senadores que querem fazer a CPI da Lava Toga. O resultado prático será nenhum. É pura ”enrolation”, enrolação. O que queremos é o impeachment de ministros que cometeram, no mínimo, crime de responsabilidade. Aí sim. Vamos começar a falar sério.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *