Patrulhamento político


Os ânimos estão acirrados. Gostaria de dizer que não sou dona da verdade, apenas tenho uma maneira de pensar que eu procuro basear em fatos.
Por isso ninguém precisa concordar com a minha opinião e estou pronta para mudá-la se alguém me apresentar provas, não sofismas marqueteiros.
Vivemos tempos difíceis em que a imprensa é manipuladora e tendenciosa e praticamente não existem mais formadores de opinião, pela falta de liberdade.
Jornais e revistas não vendem, porque perderam a confiança do leitor e por isso dependem de outras verbas para sobreviverem. Como costumo dizer, não me engana porque não gosto.
A esquerda tomou democraticamente o mundo e nesses anos que teve para mostrar a que veio, fracassou de maneira retumbante. O mundo hoje está à beira da terceira guerra mundial, o terrorismo e a corrupção se disseminaram e por isso a esquerda agora está sendo defenestrada democraticamente, também, por sua incapacidade de tornar este planeta um lugar melhor.
Está muito difícil separar o joio do trigo. Por isso, peço que me convençam com ideias, não com ataques e injúrias. Agradeço penhorada.
O patrulhamento enfeia as pessoas, que ficam amarguradas e raivosas. Sou contra radicalismos, tanto de direita quanto de esquerda.
Sobrevivi a quatro eleições de Lula e Dilma sem brigar com um amigo que votou neles e ajudou com seu voto a transformar o Brasil em 14 anos nesse fim de mundo que estamos vivendo — sem um pedido de desculpas. E ninguém faz autocrítica.
Só desfiz amizades e bloqueei várias pessoas não por pensarem diferente de mim, mas pela falta de educação.
Eu nunca votei no Lula por não acreditar que um semianalfabeto teria condições de se tornar um estadista e governar a oitava economia do mundo.
E olhe que até o mensalão, eu não sabia o quão desonesto era o Lula, tão sem princípios e ética. Ele mentia e mente até hoje. Atacava a corrupção dos outros por inveja.
Também não acredito em assistencialismo, só acredito em educação e trabalho.
É claro que apoio iniciativas para evitar que alguém passe fome, mas um sistema de saúde falido também mata. Falta de saneamento básico mata.
Em outras palavras, corrupção e incompetência matam.
 

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *