Os 100 dias de Bolsonaro

Foto: Arquivo Google – UOL Notícias

Eu nunca esqueço alguma coisa boa que alguém me tenha feito. Já as coisas desagradáveis eu apago completamente da minha mente. E saber perder com elegância é Arte de Viver.
Hoje em dia, na política, vale tudo. Quem perde não aceita perder e exsuda amargura e ódio por todos os poros. Por idealismo? Claro que não. Por dinheiro. Ninguém nunca apoiou o PT de graça, principalmente os comparsas, cúmplices, coautores, companheiros.
Mas, vale tudo até certo ponto. Quem não se lembra de Jair Messias Bolsonaro discursando sozinho na Câmara dos Deputados? Hoje ele é Presidente da República Federativa do Brasil, não da república bolivariana comandada por Chávez e Fidel, que já partiram desta para pior, no caso deles, e que provaram para o mundo na Venezuela como é um país onde deu certo o plano de governo que o PT, PSOL, PDT, PCdoB, PSB , Rede et caterva ainda querem implantar no Brasil.
E chamam o presidente Bolsonaro de maluco porque não podem chamá-lo de ladrão . E cá para nós, depois de presidentes como o criminoso vulgar e escatológico e da presidenta que não consegue concatenar um único pensamento lógico, chamar Bolsonaro de tosco é não se dar conta do ridículo.
Bolsonaro herdou um país arrasado. Vamos aos números:
O Índice de Competitividade Global do Fórum Econômico Mundial publicado em 2018 classificou o Brasil em 81º lugar entre 140 países em termos da qualidade de sua infraestrutura total, abaixo do índice do ano anterior.
Em termos de qualidade das estradas, o país ficou em 112º lugar no índice mais recente, enquanto para a eficiência dos serviços portuários ficou em 105º, e por eficiência dos serviços de trem ficou em 97º lugar.
Investimentos inadequados em infraestrutura podem dificultar o crescimento, elevar o custo de fazer negócios internamente, restringir a adoção de tecnologia e limitar o engajamento no comércio internacional.
De acordo com um relatório publicado pela consultoria Oliver Wyman em 2018, a infraestrutura inadequada do Brasil se reflete em indicadores como o percentual de domicílios com acesso a esgoto (apenas 55%), serviços de internet (menos da metade, 43%) e água (83,5%). PS: Texto traduzido do The World Economic Forum’s Global Competitiveness Index published in 2018.
E por hoje é só, carpideiras do larápio do PT. Corrupção mata. Deixem de ser patéticos. E implicantes.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *