O que você levaria para uma ilha deserta?

Se eu tivesse que ir para uma ilha deserta e só pudesse levar um livro, eu escolheria “The Gospel Of Sri Ramakrishna, publicado pela primeira vez em 1897. O Tomaz concorda comigo. Mas eu levaria a Editio Princeps, escrita e publicada em inglês por Mahendranath Gupta, que se assinou como autor com a inicial de seu primeiro nome, M. Ele descreve os diálogos de Sri Ramakrishna, considerado uma encarnação divina por apresentar todos os sinais descritos nas Escrituras Sagradas de um avatar. O livro hoje à venda com esse título, não é o original , foi editado para obter um novo copyright.

Por um desses presentes do destino, eu ganhei os dois volumes originais, que preservam a força espiritual do livro. E publico um excerto que acabei de traduzir, em que Ramakrishna ensina como lidar com o homem mau. Mais atual, impossível. Compartilho com meus amigos, e espero que possam, como eu, apreciar esse tesouro de sabedoria. Sem esquecermos de que traduttore, traditore, principalmente de um texto em inglês do século XIX.

“Como lidar com o homem mau.

M. observa que as palavras do Mestre são especialmente dirigidas a um jovem chamado Narendra (Vivekananda), que tem apenas 19 anos. Ele é estudante universitário e membro do Sadharan Brahmo Samaj. Suas palavras são cheias de energia. Seus olhos são grandes e escuros, irradiam inteligência e deixam transparecer o interior de sua grande alma. Ele tem o olhar de quem ama o Senhor.

M. vê que o tema da conversa é a conduta dos homens mundanos – de pessoas que ridicularizam aqueles que procuram por Deus. A questão é, como lidar com essas pessoas?

Mestre (sorrindo, para Narendra): O que você tem a dizer, Narendra? Homens mundanos falam todo o tipo de coisas contra os piedosos; Quando o elefante avança pela via pública, ouve-se, de fato, muitos desaforos e outros animais correm atrás dele, latindo e reclamando. Mas o elefante fica surdo para a barulheira e segue seu caminho. Suponha, meu rapaz, que as pessoas falem mal de você pelas costas. O que você vai pensar deles?

Narendra: Vou considerá-los como cães de rua latindo atrás de mim.

Mestre (rindo): Não, meu filho, você nunca deve ir tão longe assim (risos). Saiba que Deus habita em todas as coisas – animadas e inanimadas. Portanto, tudo deve ser objeto de nossa adoração, seja homem ou animal, pássaro, planta ou mineral.

Em nosso trato com os homens, tudo o que podemos fazer é tomar cuidado para nos darmos com os bons e evitarmos a companhia de pessoas más. É verdade que Deus está até no tigre; mas certamente isso não significa que deveríamos pendurar-nos no seu pescoço e abraçá-lo contra o peito. (Risos.)

Alguém pode perguntar: mas por que eu deveria fugir do tigre, visto que afinal ele é uma forma de Deus? A resposta é que aqueles que desejam que você fuja do tigre também são manifestações de Deus em outras formas. Por que não dar atenção às suas palavras?

Em certa floresta vivia um homem santo que tinha vários discípulos. Um dia ele ensinou que ‘Deus está em todas as coisas; sabendo disso devemos dobrar nossas cabeças em adoração diante de cada objeto do mundo”.

Aconteceu que um de seus discípulos tinha saído para recolher lenha para o fogo de sacrifício. De repente, ele ouviu um grito: “Saia da frente! Saia do caminho! Um elefante enlouquecido está correndo para aí! Todos fugiram, exceto o discípulo. Ele raciocinou consigo mesmo: “O elefante é uma forma de Deus; por que então eu deveria fugir? Então ficou onde estava, saudou o elefante como Deus e começou a cantar Seus louvores.

O condutor do elefante continuou a gritar “Fuja”! mas o discípulo não deu um único passo. O elefante então o agarrou com a tromba e o jogou para o lado. O pobre rapaz, atordoado, arranhado e ferido, ficou sangrando no chão.

Assim que seu mestre soube, foi com os outros discípulos ao local. Eles o carregaram para casa e cuidaram dele. Quando o discípulo voltou a si, eles lhe perguntaram: ‘Por que você não saiu da frente quando ouviu o homem gritando que o elefante enlouquecido estava chegando’? O rapaz respondeu: `Nosso mestre uma vez nos disse que é Deus quem se revela no homem e em todas as criaturas vivas. Eu olhei para o Deus-Elefante e por isso não me importei em sair do local.

Seu Guru disse-lhe: `Meu filho, é verdade que era o Deus-elefante que estava chegando, mas o Deus-condutor não o avisou para sair do caminho? É também verdade que Deus se manifesta em tudo. Mas se Ele está manifesto no elefante, não está igualmente, ou mais, manifesto no condutor? Diga-me, então por que você não prestou atenção à sua voz de advertência?’

Nos Livros Sagrados está escrito que a água é o próprio Deus. Mas há água adequada para ser usada para o serviço divino, outra apenas para lavar pratos ou roupa suja, ou para lavar o rosto e as mãos após as refeições. Esta última não pode ser usada para beber ou no altar, em cerimônias religiosas.

Da mesma forma há homens bons e maus, os amantes de Deus e aqueles que não o amam. Nos corações de todos eles, de fato, Deus permanece. Mas não podemos nos relacionar com homens maus nem com aqueles que não amam a Deus. Nossas relações com pessoas assim não podem ser muito próximas.

Com alguns, de fato, um aceno é tudo o que é possível. Com muitos outros, até isso está fora de questão. É bom viver longe dessas pessoas.”

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *