Eleição fraudada

Os democratas e a extrema imprensa passaram os últimos quatro anos a dizer SEM PROVAS que a eleição presidencial de 2016 foi fraudulenta, ilegítima e roubada por Putin. Agora, COM PROVAS, assistimos a uma fraude monumental perpetrada pelos democratas, e quem MOSTRA as provas é achincalhado e tratado como perdedor que não sabe perder.

Historiadores nos dão a visão do passado; filósofos, a visão do mundo. Todos, predominante de esquerda, estão mudando o passado e reescrevendo o presente. A esquerda tomou o meio acadêmico. Se você não pensa como a “nomenklatura” dominante, você é perseguido. O que observamos? A decadência da civilização.

Aqui no Brasil o brado da esquerda é:  – Eu odeio a classe média. Vamos concentrar a renda dos mais ricos e dar esmolas para que os pobres não morram de fome enquanto estão sendo escravizados. E a classe média que deseja um mundo melhor para todos, trabalha e tem valores morais, é vítima de toda sorte de violência e têm seus direitos suprimidos.

Os super ricos para manter a riqueza, apoiam a esquerda chinesa, para garantir o poder e certa afluência. Os canhões da guerra são a mídia digital e a imprensa. A munição são mentiras, vírus e fraudes. Os valores foram destruídos e são ridicularizados.

Vejo pessoas que eu admirava ignorar a corrupção e mesmo considerar aceitável votar em corruptos, réus. Por quê? Porque a “elite” vê naquele candidato a possibilidade espúria de obter toda sorte de vantagens. A fraude gritante é ignorada porque, dependendo de quem rouba, roubar é aceitável.

Por isso, quanto mais conheço as pessoas, mais prefiro a Natureza: meus cachorros, passarinhos, tucanos, papagaios micos, jacus, gambás, quatis, minhas flores, o céu, a lua, as estrelas, nuvens, montanhas, riachos, cachoeiras, praias e oceanos.

Trato como um tesouro sem preço meus poucos amigos pessoais e convivo bem com pessoas com quem sinto afinidade.

Tenho pena dos jovens e do mundo onde terão de viver e envelhecer. Felizmente, não mais estarei aqui para ser a testemunha. Porque um dia a mais, um dia a menos.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *