26 de maio de 2022
Lucia Sweet

Boas maneiras, gratidão e elegância


Boas Maneiras tornam a vida bem mais agradável. Não vamos esquecer de dizer sempre “Por favor” e “Obrigada”. Principalmente obrigada, porque a gratidão torna as pessoas mais bonitas e é uma virtude imprescindível, uma emoção que fortalece os laços de amizade . Ao sermos gratos reconhecemos que apreciamos a bondade e a solidariedade que recebemos de graça, o que o sociólogo Georg Simmel chamou de “memória moral da humanidade”.
Boas maneiras não são apenas regras, costumes ou tradições. Não se trata de saber como responder a um convite ou como apresentar uma pessoa para outra ou como se comportar na mesa, segurar os talheres, ou como acrescentar o leite na xícara, antes ou depois do chá: isso é etiqueta, que também é importante para convivermos com as outras pessoas. E ninguém precisa ser rico para ser educado, grato ou elegante. PS O leite depois do chá é como se usa em círculos sociais refinados.
Existe algo invisível e indefinido, mas real, em uma pessoa bem educada. Uma pessoa bem educada é sempre uma pessoa agradável, calorosa e generosa. Uma das melhores definições, por exemplo, do que seja um gentleman foi dada por Michael Arlen que escreveu: “Um gentleman é um homem que nunca é grosseiro involuntariamente”.
Aqui no Brasil a vulgaridade impera e os humoristas fazem as pessoas rirem não com humor, mas com obscenidades e palavras de baixo calão. O dinheiro é tudo, aliado ao poder, mesmo que a riqueza seja roubada e o poder, uma fraude. Os jovens fazem ou falam coisas ridículas ou ofensivas em sublime ignorância do que seja conviver de maneira respeitosa e harmoniosa. É por isso que eu procuro me proteger. Tenho muitos conhecidos e poucos amigos.
Os amigos não são terapeutas nem lata de lixo emocional. O tato é fundamental. Acho até que é um dom de nascença, como ter uma voz bonita, saber atuar ou escrever. Todos conhecem a história do bombeiro que ao entrar no banheiro para consertar um vazamento se deparou com uma mulher dentro da banheira e disse, para não constrangê-la: “Perdão, senhor” antes de sair e fechar a porta. Uma pessoa egoísta e indiferente nunca terá tato. E é incapaz de sentir gratidão. Usa as pessoas sem remorso, porque só pensa em si. Por isso é incapaz de ter amigos duradouros. Suas convivências são trocas de interesses, muitas vezes mal-placés.
Mas, principalmente, boas maneiras têm tudo a ver com bom senso. As pessoas vulgares e mal educadas que [não] me perdoem, mas boa educação é fundamental.
Sorria, Diga Bom dia, Boa tarde, Boa Noite, faça um elogio – tem sempre alguma coisa para elogiar; caso contrário fale do tempo de maneira simpática:
—O dia está lindo!
—Esse calor pede um sorvete de manga!!! (ou de côco, chocolate, melancia, caju whatever)
—Que bom que está chovendo, vai molhar as plantinhas…
—Esse frio pede um vinho ou uma lareira acesa, etc. etc. etc.
Falando agora de elegância, uma pessoa bem vestida não é necessariamente elegante.
A elegância vem de dentro. Não brilha, emana luz, uma luz que não ofusca e que nunca se apaga ou diminui.
As pessoas elegantes podem ser magras ou gordas, altas ou baixas. A elegância não depende de raça nem de preferência sexual. Mas todas as pessoas elegantes são refinadas, limpas, cultas, educadas, harmoniosas, muito gentis e agradabilíssimas. Podem até ser muito bonitas, mas a beleza não é um requisito, porque tornam-se belas assim que você as conhece melhor. Elas transcendem a aparência física como por mágica e são inesquecíveis por serem encantadoras.

author
Jornalista, fotógrafa e tradutora.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.