Atenção hipócritas!!!

Para todos os hipócritas de esquerda, órfãos da corrupção que devastou o Brasil nesses quase 30 anos de governos de esquerda e centro-esquerda, que fingem ter ficado escandalizados com os palavrões do Presidente Bolsonaro em reunião fechada e secreta — divulgada em flagrante desrespeito à Lei de Segurança Nacional e à autonomia e equilíbrio entre os poderes — gostaria de esclarecer.

Sou contra palavrão por uma questão de educação. Mas sou muito mais contra a esquerda por uma questão de princípios. O próprio Gilmar Mendes achou que o microfone estava desligado e soltou um sonoro palavrão em entrevista ao vivo.

Chega de tanta mentira, corrupção, incompetência, ilegalidades e impunidade para os que seguem a mesma cartilha ideológica. O Lula não apenas falava toda sorte de palavrões, como, entre as obscenidades que contava, orgulhava-se de estuprar cabras. A Dilma não conta, porque não consegue falar de maneira minimamente inteligível. Quem não se lembra de seus slogans esfarrapados? Ninguém merece.

A primeira vez que alguém mencionou que “país rico é país sem pobreza”, pensei que fosse uma pegadinha porque é o mesmo que se dizer, por analogia, que país rico é país com riqueza. É imbecilidade demais.

Já FHC fez coisa tão ruim ou pior: começou o mensalão para aprovar a reeleição (depois elevado à “política de Estado“ pelo pupilo de 9 dedos), criou a CPMF e foi um dos fundadores do Foro de SP, além de estar articulando a derrubada sem justificativa legal do atual Presidente da República.

Mas esse preâmbulo todo foi porque hoje me lembrei da carta de Itamar Franco, quando foi chamado de filho da p#&? pelo hipócrita do Lula.

A propósito das ofensas dirigidas ao Presidente da República pelo sr. Luiz Inácio Lula da Silva e publicadas pela imprensa no final de semana, pediu-nos o dr. Itamar Franco que tornássemos público o seguinte comentário:

“Gostaria de saber o que aconteceria se a situação fosse inversa, ou seja, se este indivíduo arrogante e elitista fosse o Presidente da República e alguém lhe chamasse disso. O sr. Luiz Inácio Lula da Silva me chamou de filho da puta. Minha mãe se chamava Itália Franco. Mas, fosse eu efetivamente um filho da p., certamente teria pela minha mãe o mesmo amor filial”. Brasília, 10 de maio de 1993.“

Hoje em dia as coisas pioraram bastante. Se você falar que tem vergonha da atual Suprema Corte estará cometendo crime, segundo seus integrantes, e arrisca-se a ser preso. Tristes tropiques.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *