Voto auditável

O regime militar prendia terrorista, assaltante de banco, autor de atentados. Entre mortos e desaparecidos, em 21 anos, cerca de 400 pessoas.

Depois da anistia os comunistas voltaram com as mentiras.

Chamam de ditadura o período que os militares governaram e idolatram Fidel, Guevara e Cuba, uma ditadura que dura até hoje e que tem entre mortos e desaparecidos mais de 120 mil pessoas.

Agora, no Brasil, atacam dia e noite um presidente apoiado pelo povo, porque ele não deixa roubar e não é corrupto.

Com o dinheiro roubado do trabalhador brasileiro, a classe média, que paga impostos exorbitantes diretos e indiretos, a esquerda comprou e nomeou TODOS os que tinham preço. E comprou também a mídia mainstream. Um bando de renegados enterrou de vez a imprensa, vitimada pelo vírus da corrupção.

Hoje quem é perseguido é o cidadão honesto que denuncia corruptos. Os criminosos de verdade estão soltos. E vivemos sob censura.

Eu me pergunto: por que os milionários da direita não investem em comunicação?

Precisamos de notícias, fatos, não de militância. De opinião confiável, não de médicos cantores e biólogos que não são médicos, processados porque atuam sem registro para criticar o que desconhecem.

E, claro, é imperativo termos um sistema de votos AUDITÁVEL.

Até agora o que tivemos foi o crime perfeito. Impossível comprovar a fraude.

Quem é contra eleições seguras? Uma minoria poderosa não pode continuar a escravizar o Brasil. A mando exatamente de quem? Afinal, como no tráfico, sabemos que os “chefes” NÃO moram em favelas.

Imagem: Google Imagens – Agência ALESC

Last but not least, falando de drogas, lembrei: o PSB radicalizou-se. Uniu-se ao ex-partido do Adelio Bispo, que juntamente com Verdevaldo, aquele empresário do ramo pornô gay hardcore chamado de jornalista, tem o sigilo bancário preservado pela justiça que impede a Justiça de ser feita.

Até frouxos migraram para o PSB, inclusive o malondro ex-PT que garantiu com o Fachin uma liminar que impede a polícia de atuar nos morros.

O mesmo PSB que teve um candidato à presidência que morreu num desses acidentes de avião mal explicados e sem caixa-preta. A mãe do morto preside o TCU, filha do comunista Miguel Arraes.

Continuam todos aliados ao carniça. Isso é o quê? Medo?

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *