Que palhaçada é essa com a dor alheia?

oculos
A Globo tinha várias regrinhas e o tal “padrão Globo de qualidade”. As outras emissoras seguiam a reboque dela. E era um diferencial de qualidade – não os absolutismos que impunham tudo a ferro e fogo, mas o ponto básico de que “o repórter ou o apresentador não pode aparecer mais do que a notícia”. O que aconteceu?? A notícia não é mais importante?
Aliás, as emissoras só mantêm os telejornais por ser obrigação legal. Não dá dinheiro. Melhor enfiar um enlatado. Mas Dona Globo, o padrão anda decadente ou mudou? Vai que agora a regrinha é ser BBB e psicótico ou psicopata como aquela mineira grande bosta que ganhou até quadro em programa…
Ah, com tanto profissional bom desempregado, não é? Agoooooooora: que escárnio é esse? Essa Ilze Scamparini entrar no ar com os óculos do Bozo, do Elton John ou do Carnaval de Olinda pra tratar de atentado terrorista?
Fosse há pouquinho tempo atrás a casa caía: ia todo mundo pra rua. Ciaaaao, Bella Scamparini, você não está num Café em Veneza, não.
Que Cazzo é esse? Ah, é por esta e por outras que não dá para negar: William Waack, você não imagina o orgulho que dá quando você entra ao vivo, impecavelmente seguro da informação, neutro no vestuário, com tom de voz impecável e mais impecável ainda são as outras línguas que você fala perfeitamente em horário nobre das Tvs europeias.
Na mesma Bélgica onde esta STAMPa fez chacota em cima de uma tragédia, se colocando em primeiro plano FASHION, já tive a honra de apontar num bar com mesas na calçada: sabem aquele jornalista falando ali? É meu conterrâneo. E ouvi inúmeros elogios.
Vai pra rua, tonta. Porque na verdade você nunca passou de um rostinho bonito. Porque a voz é de taquara rachada e falar italiano, bella, tem uns tantos milhões no Brasil que falam.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *