Sobre quarentenas e quaresmeiras

foto: Márcia Valle

Talvez não haja coincidência no fato de que a quarentena a que nos submetemos ter coincidido com o período da quaresma.

Talvez. Ou com certeza?

Recado de um Criador que, quem sabe, começa a dar mostras de cansaço diante dos seus filhos desobedientes, insolentes, insurgentes à Sua vontade?

Nós, tantas vezes rebeldes, tantas vezes iconoclastas, tantas vezes blasfemos,

Nós, que construímos inúteis torres tentando tolamente alcançar o céu?

Ou a Ti?

A florada das quaresmeiras está chegando.

Simbolicamente, elas trazem o desapego e a mudança de antigos paradigmas – que não nos orientam mais: são amarras, freios em nossos narizes.

O tempo das quaresmeiras está chegando, e quem não se adaptar será levado de roldão, de cambulhada, pelas águas de março que deverão lavar um planeta inteiro, dessa vez.

As ruínas das velhas cidades serão habitadas apenas por quem não conseguir compreender o tempo de Deus.

E, nas palavras de Guimarães Rosa,

“Como não ter Deus?! Com Deus existindo, tudo dá esperança: sempre um milagre é possí­vel, o mundo se resolve. Tendo Deus, é menos grave se descuidar um pouquinho, pois no fim dá certo…”

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *