Regina Duarte, a Cultura e a Batalha de Itararé

Foto: Google – Rede Brasil Atual
Se quisermos ganhar a guerra aonde ela realmente importa, precisamos aprender a arte de cultivar a cultura.

Devido ao imbróglio envolvendo a ex-namoradinha-do-Brasil-que-voltou-a-ser-e-agora-é-ex-de-novo, tenho visto muita gente defender o fim da secretaria de Cultura.

Todos da Direita, claro.

Isto porque a Esquerda sabe o valor que a Cultura tem.

A autoproclamada, e praticamente inexistente, Direita brasileira não.

A Esquerda já venceu uma guerra – justamente neste território. E por isso sabe a importância extrema de controlá-lo.

Leiam um pouco sobre a “teoria da panela de pressão” do General Golbery.

E aprendam: capturar o ex-presidente (e agora ex-presidiário) e impichar a ex-presidenta é a parte mais fácil – e menos importante.

Acho que foi um desses líderes midiáticos da Esquerda mundial que disse, em uma de suas frases para estampar camisetas e que vendem milhões:
“Um único professor vale mais do que mil soldados”.

Se não disse, é mais ou menos esse o valor que eles dão à Cultura.

Deveríamos ser nós.

Ah, a Batalha de Itararé? Foi aquela que nunca aconteceu.

Exatamente como a batalha pela secretaria de Cultura.

Que droga, viu?

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *