18 de agosto de 2022
Colunistas Joseph Agamol

Essa é a imagem mais bonita que você vai ver hoje

Foto: Ben Ross

Eu acredito plenamente que fotografias nos permitem viajar no tempo. Que não são apenas papel e bytes, cores esmaecidas em um velho álbum de retratos ou vivas na tela do smartphone.
É preciso apenas um pouco de sensibilidade para contemplar o passado dessa forma, abrindo uma fresta na corrente contínua do tempo, e VER.
A foto mostra o piloto de caça, americano de Nova York, tenente Vernon R. Richards. Acabou de voltar de uma missão sobre território inimigo. Nem tirou o traje de voo.
Ainda faltam alguns meses para a guerra acabar, mas, olhe: ele não sabe disso. Apenas fuma seu cigarro, comemorando em silêncio o fato de simplesmente estar VIVO.
(O piloto Vern – como ele era chamado – também não sabe, mas sobreviverá a guerra, muito além do seu fim)
E, por não saber, ele apenas desfruta seu cigarro e o presente que recebeu pelo simples fato de ter retornado.
Era o bastante.
Houve um tempo em que homens eram leões, e o olhar do piloto de caça talvez seja profético.
Talvez eu e você não tenhamos percebido, mas quem sabe o tenente Vernon não aproveitou alguma fresta na mesma corrente do tempo e teve um vislumbre de NOSSA época?
E seu olhar seja também de melancolia por descobrir que, no futuro, homens como ele estariam em extinção, talvez inevitável?
Porque houve um tempo em que éramos leões, sim.
E eu me pergunto:
Em que ponto do caminho meninos deixaram de sonhar em ser como Vernon?
Em que curva da estrada os homens se permitiram deixar de ser assim?

author
Professor e historiador como profissão - mas um cara que escreve com (o) paixão.

1 Comentário

  • Rachel Alkabes 8 de maio de 2020

    No dia em que mamães aderiram ao perigoso politicamente correto

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.