5 de março de 2024
Joseph Agamol

A histórica reforma de Bolsonaro

Foto: Arquivo Google – Yahoo Finanças

Não importa mais seu posicionamento político: chegou a hora de reconhecer que Bolsonaro fez um trabalho admirável.
Contra quase tudo e quase todos, (inclusive alguns que dizem estar ao seu lado, mas que de fato não estão), navegando em meio à águas turbulentas, reais ou inventadas, sustentando dia e noite o fogo inimigo – e até o amigo – e solidamente entrincheirado para defender aquilo que deve ser defendido, custe o que custar.
Bolsonaro conseguiu, em seis meses de governo, erigir a pedra fundamental de uma reforma que era pretendida no Brasil desde que o leite era posto em garrafas nas portas das casas – e ninguém roubava.
A Reforma da Previdência é a corda jogada no abismo para salvar um país que estava indo, inexoravelmente, para o buraco.
Ou a tal luz no fim do túnel, sem ser um trem no sentido contrário.
Ou quase o Santo Graal. Não importa.
O fato – e contra fatos, é preciso lembrar, não há esperneio ou chiliquentos que possam contradizer – é que o tal presidente que não conseguiria governar, que seria deposto em três meses, o tal feio, forte e formal, com mau hálito e caspa na sobrancelha, obteve a maior vitória desse país, desde a Copa de 58.
Que Copa de 58 o que: foi a maior vitória do Brasil desde a batalha dos Guararapes e da expulsão dos batavos e comedores de baguete.
O tal presidente, aquele, dito machista, racista, misógino e homofóbico, aquele, alvo de insultos, chacotas e difamações, dia sim, outro também, está prestes a implementar a maior reforma da história dessa terra, desde a Lei Áurea da Princesa Isabel.
Não por acaso, ambas libertam o Brasil da escravidão.

Joseph Agamol

Professor e historiador como profissão - mas um cara que escreve com (o) paixão.

Professor e historiador como profissão - mas um cara que escreve com (o) paixão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *