9 de agosto de 2022
Colunistas Joseph Agamol

O que há no fim do arco-íris?

Foto: bestemammatil7
Igrejas em chamas. Guerras e notícias de guerras. Memes.
Irmão contra irmão. Circo e pão.
“Quem lê tanta notícia?” A saída? O interior. Da gente.
Se as luzes se apagam em nossa sociedade, quero ao menos mantê-las acesas em mim. Cuidar dos meus. Forjar um casulo de aço e ouro contra adversários deste e de outros mundos. Montar guarda à porta. Até que tudo passe.
Tecer o mundo. Um novo mundo. Certo, desta vez. Um mundo onde palavras como justiça, honra e liberdade sejam gravadas a ferro na alma daqueles que pertencem ao Bem. E lutam por tudo aquilo que vale a pena lutar.
Porque, ao fim e ao cabo, não se trata só de salvar o mundo – embora só isso já justificasse a coragem para vestir a armadura. Trata-se de combater para manter livre o solo sagrado do seu coração.
Ao fim do arco íris há uma espada cravada na pedra, esperando, protegida por um Leão e uma águia.
Desincruste-a.
Há um mundo novo a tecer.
(Texto: Joseph Agamol )

author
Professor e historiador como profissão - mas um cara que escreve com (o) paixão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.