16 de agosto de 2022
Colunistas Joseph Agamol

A única defesa contra a ameaça à Liberdade no mundo de hoje é o Cristianismo

Imagem: Martijn Schrijver

O Cristianismo sempre foi singular. Único. Desde sua origem.
Me fascina pensar que o humilde povo judeu, formado basicamente por agricultores e pastores de cabras e camelos, foi o quase solitário adepto da ideia de um único Deus, criador dos céus e da Terra.
Cercados por inimigos bárbaros e ferozes por todos os lados, a fé judaica sobreviveu a tudo e todos. Até a ausência de um território físico.
E não apenas sobreviveu. Do cerne mesmo de sua tradição emergiu um profeta que fundou não uma nova religião – mas algo completamente INÉDITO, baseado numa aliança com Deus de uma forma tão íntima que atingiu a todo o mundo conhecido na época.
E cuja base era a Liberdade. Você pode até achar que não, mas na minha visão muito pessoal, é assim que vejo a fé cristã:
Quem a escolhe ou é por ela escolhido, abraça uma fé que se alicerça firmemente num conceito de Liberdade – que os estranhos a ela não podem compreender com facilidade.
Portanto, muito natural que, onde a Liberdade estiver sendo ferida, ao longo da História, o Cristianismo venha a trazer o bálsamo, mas também, em sua defesa, o escudo e a espada.
Vejo a fé cristã como um poderoso leão que descansa, e que, mesmo ao descansar, se mantém vigilante, e mantém seu espírito de Liberdade por todos os lugares.
In Hoc Signo Vinces.

author
Professor e historiador como profissão - mas um cara que escreve com (o) paixão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.