O eletrizante Conde Kilowatt e seus carros voadores

kolowrat_02

O sujeito que aparece ao volante nas fotos deste post estaria completando 130 anos hoje. De família nobre,o Conde (Graf, em alemão) Alexander Joseph Kolowrat-Krakowsky foi, entre 1904 e 1914 um ídolo esportivo em seu país, a Boêmia, hoje República Checa – àquela época, parte o Império Áustro-Húngaro. Corridas de carro naqueles começos do século XX e da próprias história automobilística eram coisa de que, raras as exceções, somente os muito ricos participavam. Sascha Kolowrat (um de seus apelidos) começou a competir com uma motocicleta Laurin & Klement, que acabara de ganhar do pai por suas boas notas na escola, correndo nos alpes. E se deu bem.
kolowrat_01Nos anos seguintes, passou para os carros da mesma Laurin & Klement – marca que, mais tarde, seria rebatizada como Skoda. Aos poucos, fez seu nome nos ralis daqueles mesmos escarpados e escorregadios alpes, além de disputar com sucesso – e algumas vitórias – provas de longa duração, como o clássico da Europa Oriental que enchia de calhambeques as estradas entrte São Petesburbo e Sebastopol, na Rússia.
O Conde Kilowatt (outro de seus apelidos, por conta de seu temperamento “energético”) foi também produtor e diretor de cinema, tendo feito filmes mudos de sucesso – alguns deles como uma atriz então novata e desconhecida chamada Marlene Dietrich. Nas pistas, teve como principal feito da carreira ter terminado quatro vezes o famoso Rali Alpino (em 1910, 1912, 1913 e 1914) sem perder um ponto sequer. O detalhe é que, naquela época, os pilotos levavam, sentado ao seu lado, um juiz da prova, para garantir que cumpririam todo o percurso nos tempos determinados.
Outra curiosidade sobre as heróicas provas daqueles tempos é que, assim como os carros, as duplas de piloto e co-piloto tinham de obedecer a um limite máximo de peso – além de, claro, ser vantajoso ser um time “leve”. Por isso, Kolowrat costumava correr algumas das provas tendo ao seu lado o irmão caçula adolescente, Heinrich (na foto abaixo). Pelo jeito, os pais, naqueles tempos, deviam ser mais corajosos.

kolowrat_03Graf Alexander Joseph Kolowrat-Krakowsky, piloto Checo, e seu irmão e co-piloto, Heinrich
Divulgação Skoda

260px-austrodaimler_saschaAlexander Kolowrat teve sua carreira de piloto precocemente encerrada com o começo da Primeira Guerra Mundial, mas nunca abandonou o amor pela velocidade. Fez parte do Conselho Diretor da futura Skoda e, no começo dos anos 1920, financiou o projeto de um certo engenheiro austríaco chamado Ferdinand Porsche para um modelo de carro leve de corridas, que acabou batizado como Sascha-Wagen, em sua homenagem.
O carrinho (ao lado) disputou a famosa Targa Lorio, na Itália, em 1922, conseguindo a primeira e a segunda colocações na categoria até 1.100 cilindradas. Kolowrat – que nasceu “por acaso” nos EUA, num período em que seu pai, por ter matado um desafeto em duelo, permaneceu exilado – morreu de câncer, em viena, em 1927. Sua vida definitivamente daria um bom filme.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *