Ator de "Star Trek" morre atropelado por seu próprio Jeep automático

imageAnton Yelchin, ator russo-americano que atuou no “remake” mais recente de Jornada nas Estrelas

Esta semana, aos 27 anos, morreu em um acidente de carro em Los Angeles o ator Anton Yelchin, que fazia parte da tripulação da astronave Enterprise na recente versão do clássico Jornada nas Estrelas. Nascido na Rússia, criado nos EUA, Yelchin acabara de estacionar seu Jeep Grand Cherokee 2015 em uma ladeira e, já do lado de fora, acabou sendo atropelado por seu próprio carro e imprensado contra uma caixa de correio de concreto. Ao que parece, o ator não freou nem colocou o câmbio automático do Jeep na posição “P”. (park, de estacionamento), num tipo de distração que não é de todo incomum. O que está provocando polêmica por lá, no entanto, é que por causa de seu funcionamento – diferente do padrão da maioria dos modelos automáticos vendidos no mercado americano e que, segundo alguns técnicos, pode ter contribuído para o desastre. Uma característica, aliás, que já levara a Fiat Chrysler, fabricante do veículo, a fazer um recall de mais de 800 mil unidades de Grande Cherokees dos anos 2014 e 2015, iguais a do ator.

gcherokee

O que levaria alguns a deixarem o câmbio em ponto morto – posição “N” – em vez de travar o carro seria o fato de que, uma vez deslocada das outras posições de marcha (“R”, de ré; “D”, de drive, ou “andar” e “S”, de sport (opção de maior desempenho) a alavanca automaticamente seria conduzida (como que por uma mola) para a posição neutra, sendo necessário movimentá-la para a frente e, assim, travar o carro em “P”. Em Neutro, o carro fica totalmente “solto”, já que nem os freios, nem o sistema de tração agem sobre as rodas. Já dirigi dois modelos da Jeep que trazem esse sistema de câmbio e, realmente, ele é um pouquinho mais leve de manuseio (o que é bom), exigindo atenção para determinadas manobras. Como o curso da alavanca é também consideravelmente mais curto que o tradicional, deslocando a alavanca para frente, ela “cai” naturalmente na posição N. É preciso empurrá-la mais para frente – como, aliás, acontece na imensa maioria dos carros desse tipo – para bloquear as rodas.

marchacherokee
Não há no entanto, até o momento, nenhuma conclusão sobre se foi efetivamente esse o problema que causou o acidente e a morte de Yelchin. Em todo caso, resolvi fazer este post para lembrar que, embora sejam mais modernos e, de um modo geral, fáceis de usar (e muito menos cansativos) que os sistemas manuais, os câmbios automáticos também requerem cuidado e atenção. Todos nós temos a compreensível tendência de nos acostumarmos rápido com tudo o que facilita as nossas vidas e, também, a ficarmos mais relaxados (e descuidados) em situações de maior conforto. Ou seja, o que é melhor, às vezes pode ser potencialmente mais perigoso também.
O câmbio pode ser automático, a sua atenção ao estacionar o carro, não.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *