14 de agosto de 2022
Saúde

A resposta do estresse: no que consiste?


Nada pode parar o tempo, nem seus efeitos… envelhecer faz parte da vida e não devemos sentir pena ou medo por isso.
De fato, agora que a expectativa de vida é cada vez mais alta e temos a possibilidade de viver muitos anos, é importante agir para ter um envelhecimento saudável.
Devemos fazer o nosso melhor para aproveitar ao máximo tudo que temos pela frente. O bom é que, embora não possamos parar os efeitos da passagem do tempo, temos ferramentas para que isso nos afete o mínimo possível.
Muitas pessoas idosas vivem uma vida ativa e saudável. No entanto, não há como evitar que, à medida que envelhecemos, nossos corpos e mentes mudem. Contudo, há coisas que podemos fazer para nos mantermos saudáveis e ativos conforme o tempo passa.
Neste artigo, vamos dar vários conselhos para conseguir isso. “Nunca um homem é velho demais para recomeçar sua vida, e não devemos achar que o que ele foi o impede de ser o que é ou o que será”.�-Miguel de Unamuno-
O que é envelhecimento saudável?
A Organização Mundial da Saúde (OMS) define o envelhecimento saudável como “o processo de desenvolvimento e manutenção da capacidade funcional que permite o bem-estar na velhice”.
A habilidade funcional consiste em ter as habilidades necessárias que permitam: • Satisfazer as necessidades básicas. • Aprender, crescer e tomar decisões. • Poder se mover por si mesmo. • Construir e manter relacionamentos. • Contribuir para a sociedade.
Como vemos, essa capacidade funcional é composta pelas habilidades intrínsecas do indivíduo, pelas características ambientais relevantes, e pela interação entre elas.
A habilidade intrínseca compreende todas as habilidades mentais e físicas das quais uma pessoa pode tirar proveito. Inclui sua capacidade de andar, pensar, ver, ouvir e lembrar.
O nível de habilidade intrínseca é influenciado por vários fatores, como a presença de doenças, lesões e alterações relacionadas à idade.

Médico, cardiologista, cardiometabolismo, geriatria, medicina ortomolecular e controle da obesidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.