London “lifestyle”

É muito difícil definir um estilo de vida em qualquer lugar que seja, mas em geral nos baseamos pela média. Eu vou me basear pelos amigos que tenho, que são pessoas de vários níveis sociais, idades e em diferentes momentos da vida. Felizmente, posso me considerar uma pessoa privilegiada por ter a facilidade de me relacionar com as pessoas e, graças a isso, acabo tendo material de sobra de avaliação.

Londres, como toda capital, oferece de tudo para todos os orçamentos, idades e preferências. Vamos pegar uma família de classe média.

Em geral, as pessoas vão ao trabalho de transporte público, mesmo que tenham um carro de luxo na garagem. Conheço um rapaz de 29 anos que tem um Porsche estacionado na rua em frente à casa dela e, mesmo assim, ele vai de bicicleta ao trabalho com uma conexão no metrô. Sim, um Porsche NA RUA, porque, aqui, o risco de roubarem o seu carro em um bairro de classe média é mínimo (devido ao número de câmeras e a eficiência da polícia e da justiça).

E, sim, um cidadão pode ir de bicicleta até um certo ponto, deixar a bicicleta na estação do metrô ou trem (alguns vagões aceitam até que você entre com as bicicletas também) e seguir o resto da viagem com o transporte público. No final do dia, ele vai encontrar a bicicleta no mesmo lugar que ele deixou e voltar tranquilamente para casa do mesmo jeito que foi. Claro que, nas estações, as bicicletas ficam trancadas nas barras de ferro porque ninguém é idiota, também.

Este mesmo rapaz, assim como a maioria dos trabalhadores (inclusive das mulheres), vai de tênis e roupa social. Não importa que você esteja vestindo um terno Armani ou, no caso das mulheres, um vestido ou um tailler. Você vai precisar de um sapato confortável para as longas caminhadas do trem ao trabalho, ou nas pedaladas e não há problema algum combinar a sua meia calça com um tênis. O sapato social fica lá no trabalho (embaixo da mesa, normalmente).

As pessoas também carregam uma mochila (que fica um charme com o terno e o tênis) ou uma segunda bolsa de mão com o almoço para esquentar no micro-ondas do escritório. Este almoço pode ser um sanduíche feito em casa ou, uma refeição para uma pessoa, comprada nos inúmeros supermercados. São porções individuais de todos os tipos: comida mexicana, chinesa, árabe, italiana, etc, em embalagens plásticas, com divisões para os diversos tipos de alimentos. Outro dia, comprei uma porção em uma das lojas de departamentos daqui (que também tem um setor de alimentos). Era peixe ao molho branco com legumes e purê de batata. Não é comida congelada, é fresca, feita no máximo dois dias antes, dependendo do quão perecível é o alimento. Paguei £3,00, o equivalente a R$ 10,50 e estava uma delícia!

Os que não trabalham em grandes empresas, onde podem aquecer suas marmitas, comem na rua mesmo. Redes de fast food, restaurantes, cafés, etc, mas repito: a maioria leva de casa porque o custo de vida, em Londres, é alto. Se puder economizar na comida, eles vão fazer. As pessoas aqui, adoram economizar para o futuro e não ficam jogando dinheiro fora para se exibir para amigos ou colegas. Não importa o quanto ele tenha na conta bancária, o estilo de vida no dia a dia é igual ao dos outros e a poupança fica para as férias ou para a compra da casa própria que, aqui, embora o imóvel seja caríssimo, não é difícil ter, graças aos baixos juros e aos vários tipos de financiamentos a perder de vista.

Aqui, se trabalha muito. Se você quiser mesmo ganhar dinheiro, vai encontrar trabalho de domingo a domingo, das 4 da manhã às 4 da manhã do dia seguinte. Só depende de você e do seu limite. As pessoas estão sempre andando apressadas (vivam os tênis!). Correm para pegar o trem, ônibus e metrô. Eu sou uma delas, confesso. Já fui pior, mas agora, ainda bem, meus horários entre o trabalho e pegar minha filha na escola estão um pouco mais folgados. Posso andar ao invés de correr e, se eu perder o primeiro trem, posso pegar o segundo sem problemas, mas isso graças a uma lei que protege a mãe que trabalha fora.

O bem estar da família está em primeiro lugar. Então, se você tem uma limitação de horário, como eu, para pegar minha filha na escola até às seis da tarde, o patrão nunca poderá pedir para você fazer hora extra ou mudar o seu horário de trabalho, caso isso prejudique a sua função de mãe. É processo trabalhista ganho, a menos que no seu contrato de trabalho esteja escrito que você deverá fazer horas extras quando necessário e você tenha aceitado isso.

Bom, voltando à nossa semana de trabalho, se numa quarta-feira você decidir que não está a fim de voltar para casa, vai encontrar dezenas de opções diferentes de lazer, como toda grande cidade. Pubs, cafés, restaurantes, teatros, cinemas, academia de ginástica e por aí vai. Tudo aqui funciona todos os dias da semana e não é raro ver filas nos teatros em plena segunda-feira. Até porque, muitos deles fazem promoção em diferentes dias da semana. A área central, chamada de West End, onde está a maioria das atrações turísticas e comerciais, conta com quase 50 teatros. Tenho certeza de que você encontraria alguma coisa para fazer na tal quarta-feira chuvosa (tem chovido horrores por aqui).

Fim de semana é momento de relaxar, fazer um passeio, ir às compras, encontrar os amigos (mesmo que seja para um churrasco, por que não? Aqui também se faz isso!), levar a criançada ao parque (se a chuva deixar) e até mesmo tirar aquele Porsche da rua, fazer uma viagem e gastar um pouco, porque afinal, dinheiro também foi feito para ser usado.

artigo publicado em 07/02/2014

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *