Uma droga de república

Estamos aí, depois de um mês da “carta de arrependimento”, onde nosso líder maior colocou-se de joelhos ao sistema.

Agora não sabe mais se concorrerá à reeleição em 2022.

Devo confessar! Sou totalmente contra a reeleição, mas neste caso apoio radicalmente. É o que temos para o momento.

A rataiada comemora as prisões arbitrárias, os avanços do passaporte sanitário e, principalmente, a manutenção do voto eletrônico puro, garantia de reeleição do clã oligárquico-político brasileiro.

A jornalista espanhola já disse, do outro lado do mundo, que as drogas financiam a esquerda no mundo (vide: https://www.defesanet.com.br/…/Cristina-Segui—o…/).

Esqueceu de dizer que é a droga que financia o centrão e até uma falsa direita, também. Aliás, é droga financiando droga, transformando tudo numa só droga, em troca de droga. Mas que droga!!

O composê de sempre está em alerta, com os mesmos nomes mascados puxando fila.

E se não for, será o filho, genro, neto, bisneto, tataraneto e o sistema vai se mantendo.

Sabe que se o comandante não assumir posto num partido, sua campanha irá para o espaço e os órfãos ficarão sem chão.

Dinheiro não falta para comprar presidentes e diretores nacionais de partidos. Malas e malas! Aliás, dinheiro sujo de droga! Entende agora como a droga está em todo lugar?

Consertar o que não tem conserto?

Uma república comandada por uma nata que é a verdadeira droga. Uma CPI do circo armado para calar o pouco que resta de voz popular. Colocar um presidente eleito por ampla maioria de eleitores numa posição de serviçal.

Viu como é fácil transformar uma nação num mercado de drogas?

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *