8 de agosto de 2022
Claudio Tonelli Colunistas

Livramento

Em 2018, era para ser Haddad… urnas ajeitadas, pesquisas compradas, mídias manipuladas, tudo certo para o lulopetismo retornar ao poder e continuar sua saga destruidora, mas aí o povo foi em massa votar e conseguiu reverter um resultado quase impossível.

A devolução do patriotismo, também despertou o espírito de união no povo. Essas talvez foram as duas melhores vitórias concedidas ao povo brasileiro, graças de Deus! Conquistas estas inabaláveis e imutáveis que fez o povão acordar diante de tanto desrespeito, covardia e desfaçatez de quem comandava o país há anos.

Patriotismo e União são as palavras chaves para quebrar qualquer encanto do esquerdismo ditatorial, não é mesmo?

O ano de 2022 poderá será marcado como o ano da redenção do Brasil no cenário econômico mundial, título que já deveria ser nosso, se não fosse um pandemônio, misturado com uma guerra desnecessária, ambos criados nos meandros de quatro paredes.

O Brasil, que até então era visto como colônia e servidor de benefícios e riquezas aos países dominantes, virou referência, passando ser o centro das atenções.

Até parece que foi proposital, progressistas do mundo inteiro se juntarem para derrubar um único líder sobrevivente da guerra fria e assimétrica, que já derrubou até as mais fortes lideranças.

Quem diria que a profecia de Chico Xavier pudesse se cumprir diante de nossos olhos: “BRASIL, CORAÇÃO MUNDO, PÁTRIA DO EVANGELHO!”

Administrador e Consultor de Empresas, ativista político e estudioso de fraude eleitoral.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.