18 de agosto de 2022
Adriano de Aquino Colunistas

O trecho 1 (Jati-Cariús) do Cinturão das Águas, Ceará, se rompeu

O duto que rompeu está ligado ao reservatório que nesta semana atingiu 94,8%. O rompimento irá prejudicar o fornecimento de agua para 4,5 milhões de pessoas da região metropolitana de Fortaleza.
Em acidentes assim é sempre bom consultar o histórico das fases de construção do sistema.
O trecho 1, quando estiver totalmente concluído nos cinco lotes, terá custado R$ 2 bilhões. Uma obra tão cara deveria prever acidentes.
O acidente merece uma investigação criteriosa.
O jornal O Povo publicou uma matéria especial sobre o Cinturão das Águas que detalha o andamento e conclusão do projeto: “além de ser um desdobramento da cobertura sobre a Transposição do Rio São Francisco, integra a série A Peleja da Água, iniciada em 2013 pelo O POVO para tratar a questão hídrica no Ceará. Nele, é explicada a estrutura, detalhados os custos e contadas histórias do caminho que a água do São Francisco vai percorrer para chegar aos cearenses, especialmente neste momento de intensa ameaça ao abastecimento na Região Metropolitana de Fortaleza e no estado como um todo. Ao especial impresso, somam-se um webdoc e um especial digital publicados no O POVO Online.”   (https://especiais.opovo.com.br/cinturaodasaguas/)
Artista visual. Participou da exposição Opinião 65 MAM/RJ. Propostas 66 São Paulo, sala especial "Em Busca da Essência" Bienal de São Paulo e diversas exposições individuais no Brasil e no exterior. Foi diretor dos Museus da FUNARJ, Secretário de Estado de Cultura do Rio de Janeiro, diretor do Instituto Nacional de Artes Plásticas /FUNARTE e outras atividades de gestão pública em política cultural.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.