O poder, o sorriso e o riso da Perseguida


É penoso, triste e decadente sem elegância; gastar a sexta glacial para explicar o óbvio. Seja ele ululante ou bolsonante.
Só pode ser falta de perereca! É.
É que ainda flutua no ar o “affaire” Neymar. E prometo não falar dele hoje, o que escrevi ontem. Apenas ação e reação.
Nunca recebi tanta mensagem no WhatsApp, como hoje e com o mesmo tema. Ivagino, perdão, imagino que vocês também.
“O Poder de uma Perereca.
1) Viajar para Paris de graça
2) Hospedar-se em Paris de graça
3) Dar na cara do Neymar
4) Tirar Neymar da Copa América
5) Afastar Mauro Naves da Globo
6) Fazer o Roberto Cabrini de otário
7) Fazer a Globo esquecer do Bolsonaro”.
Primeiro, parabéns ao autor, sempre anônimo, quando genial.
Parabéns principalmente por mostrar o óbvio como se fosse algo extremamente original.
E comecemos pelo final, fazer a Globo esquecer Bolsonaro. Pura verdade.
E azar da revista Veja também que, esta semana, dedicou capa e ótima entrevista com Bolsonaro.
É tanta coisa que nem sei por onde continuar. Humor, filosofia, sexo, comportamento, tabu, Freud… Mas vou começar por uma piada do Juca Chaves antes que sejamos acusados de pedofilia.
Duas crianças. Um menino e uma menina. Ele de cueca, ela de calcinha.
O menino baixa a cueca e diz orgulhoso: “Eu tenho um desses e você não tem”.
A menina baixa a calcinha e, sarcasticamente, replica: “Minha mãe disse que eu, tendo uma dessas, posso ter desse aí, quantos eu quiser”.
Perfeito! Daí eu repetir e concordar com Bolsonaro, mais uma vez e sempre. Pra que Filosofia, Sociologia, entre outras inutilidades, se temos o humor, a piada, a filosofia e a sociologia de botequim?
Uma ex namorada me disse um dia que o sinônimo de perereca era “poderosa”. Não quis aprofundar o assunto para não saber que ela legislava em causa própria e principalmente o autor do não menos óbvio elogio.
Perereca com P de Perseguida e Poder. Outra obviedade muito antes de o homem, sem MST, ter invadido a primeira caverna.
Por estas e outras acho o Feminismo ridículo.
Deus deu às mulheres o maior poder do mundo, exatamente entre as pernas. Por possuir esta arma química, cheirosa e saborosa, de destruição em massa, as mulheres sempre dominaram o mundo.
Só as ignorantes não sabem usá-la. E lambuzá-la.
Quantas guerras não começaram por causa de uma perereca! De Tróia ao Egito de Cleópatra, escravizando César e Marco Antônio, os donos do mundo, via Roma.
Ava Gardner acabou com Frank Sinatra e, juro, não foi por seus belos olhos…
E quando soma-se perereca com coruja, xoxota e inteligência, sai de baixo! É covardia. Pobres homens!
Momento confissão: As coisas mais inteligentes e as maiores besteiras que fiz e continuo fazendo devem-se à tal “Boceta de Pandora”.
Não tenho vergonha de confessar como vocês não têm de ler.
(Falsos) moralistas acham que a gente nasce de proveta.
Mesmo os não chegados à uma bela e perigosa perereca, como Hitler e outros ditadores sanguinários, foram, indiretamente, movidos por ela ou pela falta dela. Um rei sem diversão é coisa muito perigosa, escreveu Jean Giono.
“Tudo o que quero é voltar ao útero. Qualquer útero!”, Woody Allen.
Freud disse que o homem não consegue encarar três coisas, a saber: o sol, a morte e a vagina.
Há controvérsias! No mínimo pessoais! Realmente, não sou chegado em sol e morte, mas uma perereca! Sou alucinado.
Momento confissão 2: Sou obcecado por. Para mim, não existe design mais perfeito, lindo, divino e maravilhoso. E ainda vem, como bônus, perfume e sabor sem iguais.
Por falar em Juca Chaves e Woody Allen, tem outra, salvo engano, do Chico Anysio: “As mulheres estão descobrindo que mulher é bom – coisa que os homens já sabem há séculos…”.
Se eu fosse mulher, primeiro seria contorcionista, depois lésbica!
Outra sabedoria popular, elogio máximo que, nestes tristes trópicos de três tristes tigres, pode ser taxada de machista e misógina: “O que é a mulher? Moldura de buceta… Tudo que tem em volta dela”, kkkkkkkkkkkkk.
Mil perdões pela franqueza, mas é a mais pura verdade. E ninguém sabe disso melhor que as próprias mulheres. Por mais que tentem infantilizar, chamando buceta de perereca; as mulheres sabem muito bem porque são perseguidas.
Zé Dirceu despertava em Roberto Jefferson “os instintos mais primitivos”.
OK, cada um com sua tara. Mas, em homens de verdade, homens que veneram e são apaixonados por mulheres, o que desperta o instinto mais primitivo, para o bem e para o mal, é outra coisa.
Então, depois de tudo isso, por que tanto tabu em torno do tema e da boquinha de um dentinho só?
Freud explicou e tinha razão?
Por que a imagem e os 1069 nomes para perereca ainda produzem, desde sempre, ao vivo, na arte e em pleno Século 21, tanta celeuma? E fascinação, claro!
O riso da perereca…
O poder do humor e da perereca…
Em “O Nome da Rosa”, os monges que liam livros proibidos, de humor, de sexo, morriam envenenados. Molhavam o dedo na língua e depois no veneno do papel para virar as páginas.
Humor e gozo!
Por que é proibido a certas mulheres, em certos países, gozar?
Como em alguns países africanos onde cortam, barbaramente, o clitóris das meninas, assim que nascem! Castração no feminino.
Que medo é esse?
Para mim, quanto mais purpurina melhor.
Roberta Close pode cortar a carne e certamente é uma pessoa melhor, mas nunca será um lixo como Maria do Rosário que, apesar de tudo, tem perereca de verdade.
No fundo úmido, o que não perdoo é a ingratidão para com a natureza. Por exemplo, esta mulher que quer acasalar-se com Lula: só pode ter raiva da própria buceta. Ingrata!
PS: Neymar, te entendo, logo, te defendo. Eu também não fui campeão do mundo por causa de perereca. Você chupa medalha? Duvido!

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *