Hackeando!


Acusados de estupro por um hacker, o ministro de Justiça Sérgio Moro e o procurador da República Deltan Dallagnol, agora vão ter de se explicar à justiça.
A troca de mensagens mostra vários trechos de conversa, desde o momento em que foi marcado o encontro entre eles em Paris, até quando nomes de possíveis testemunhas que incriminariam Neymar – que está preso em Curitiba – foram sugeridos por Moro ao Procurador da República.
Essa onda de invasão de privacidade está atingindo a muita gente importante e caiu como uma bomba na ala da justiça que comandava a operação que mais prendeu corruptos até hoje, e que ficou conhecida pelo nome de Lava Jato.
O hacker segue com seu trabalho espalhando terror entre políticos e entre a classe judiciária. Eles não se sentem mais seguros, nem mesmo em mandar para um amigo uma simples mensagem como “quero transar com você”.
Oportunistas, claro, esperam tirar proveito dessa situação, e os advogados do jogador já estão fazendo de tudo para provar que Neymar foi preso sem fundamentos cabais.
Alegam que o juiz encarregado de encarcerá-lo cometeu “promiscuidade” no encaminhamento do processo. Que ele teria se comportado como uma verdadeira najila para deter sua presa.
Não foram só os diálogos que ficaram expostos. Uma comprometedora foto de Moro com as nádegas vermelhas de tanto apanhar também veio à tona, pondo em dúvida a seriedade da sua conduta.
Ele se defende das acusações dizendo que “o que aconteceu num dia foi uma relação entre um homem e uma mulher, entre quatro paredes, algo que acontece com todo casal, e no dia seguinte não aconteceu nada demais…”
Até o momento ainda não se sabe quem vai ficar na prisão.
Se o hacker que jogou toda essa merda no ventilador, se os responsáveis pela prisão do Neymar, ou se o próprio Neymar, “indevidamente preso” segundo a sua defesa, que insiste em alegar que apesar do seu desvio de conduta (compulsão por roubar), não há nenhuma prova contra ele.
Enquanto se aguarda novo veredito, esse jogador continua fora de combate, mas o empenho dos seus dirigentes, é para que ele volte a ser o líder da seleção em breve, o que poderia cair no desagrado da maior parte da torcida brasileira. Afinal ainda não nos esquecemos daquele resultado Petrobras 7 x Brasil 1, e além disso o time ainda poderá contar com jogadores como Eduardo Cunha, Sérgio Cabral e outros que estão no banco de reserva já há algum tempo, por determinação do juiz envolvido nesse escândalo.
Ufa, que semana! É tanta fofoca que a gente até acaba misturando estação, mas espero que tudo tenha ficado esclarecido nesse texto.

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *