É melhor cuspir ou engolir?


Água em várias partes do Rio de Janeiro apresenta cor, cheiro e gosto diferentes — Foto: Reprodução TV/ Globo

Normalmente uso este espaço para falar de assuntos nacionais, mas nesta semana vou me permitir usá-lo para um regional, ou melhor, da cidade do Rio de Janeiro.

Já há uns 10 ou 15 dias temos sofrido com a qualidade da água. Nós que estudamos ciências na escola, ainda no primário, aprendemos que: ” A água pura não tem cor: é incolor. A água pura não tem cheiro: é inodora. A água pura não tem sabor: é insípida”…

Bem, isso vale como regra geral, e nos livros, mas especificamente, no Rio de Janeiro, nossa água, que a gente paga e não é barata, deixou de ser água. Isso mesmo, deixou de ser água, simplesmente, porque deixou de ter as 3 características acima, ou seja, tem um cheiro horroroso de enxofre, um gosto de terra/barro e uma coloração que mais parece um café fraco, ou, se preferirem, um achocolatado ralo. Como disse o Zé Simão hoje: “a CEDAE está servindo Nescau direto da bica!!!”.

A CEDAE (Companhia de Água e Esgoto do Rio de Janeiro) afirma que, apesar deste “percalço” (acho que seu presidente nem sabe o significado desta palavra que ele disse), a água é potável e está dentro das normas na ONS, ANS e ANVISA. Esta sopa de letrinhas tem, cada uma delas sua função, mas duvido que qualquer delas assine embaixo de que esta “coisa” que estamos recebendo em casa como água, seja aquela cuja fórmula é H2O, sendo portanto insípida, inodora e incolor…

Aqui vai uma especulação e apenas isso, por enquanto. Depois de 60 anos distribuindo água dentro dos padrões de potabilidade, a CEDAE, nossa empresa ESTATAL, passou a distribuir água imprópria para o consumo exatamente quando se discute sua privatização. Isso constitui um evento atípico que merece investigação e punição de eventuais culpados, principalmente em se tratando de Saúde Pública. O que estão esperando? Só agora a Polícia entrou em cena. O MP nada fez…

Todos sabemos que os esquerdopatas e seus apadrinhados sofrem de uma síndrome de anti privatização, porque privatizando-se acabam as mamatas, os cabides de emprego e a ineficiência persiste. A CEDAE é um belo exemplo disso, assim como os CORREIOS, mas este é um assunto para uma outra oportunidade.

Ironizando: o carioca é um ingrato. Fica fazendo um auê com a qualidade da água da CEDAE à toa. A empresa que é símbolo de “competência e eficiência”, sempre à frente do seu tempo (século XVIII), inovou mais uma vez e lançou a água gourmet. A inovação veio com a safra 2020, com sabor e aroma “terroir”. Sucesso total e eleita por aclamação pelos vendedores e distribuidores de água mineral.

Acharam um bode expiatório. Exoneraram o Gerente do Guandu (Estação de Tratamento de mais de 80% da água distribuída no Rio de Janeiro).

Infelizmente nossos políticos não têm competência para gerir o governo, seja federal, estadual ou municipal, quanto mais uma empresa do porte de uma CEDAE. Temos mau atendimento e serviços que deixam a desejar, vide o caso da água fornecida à população. Exoneram o “responsável” e… tudo bem. Agora ele arranja outra boquinha em outra gerência ou órgão e nós, o povo, que nos lasquemos.

A corrupção e a impunidade impedem o país de ir pra frente. Isso precisa mudar, tem que privatizar tudo o que for possível, e a CEDAE com urgência. Se fosse uma empresa privada, isso dificilmente aconteceria.

Quem está adorando esta crise são os “produtores” e vendedores de água mineral engarrafada. Ontem me senti na Venezuela ou em Cuba, como preferirem. Fiquei 30 minutos numa fila de supermercado para comprar dois packs (com 6 garrafas) de 1,5 litros de água mineral. Estão limitando o número de packs por cliente. Outros hipermercados, maiores, também tinham filas maiores e, claro, os preços foram às alturas. Lei da oferta e da procura dizem os donos de supermercados e afins…

E fica a dúvida antiga e tradicional: é melhor cuspir ou engolir?

Talvez a diretoria da CEDAE saiba nos dizer qual a melhor escolha, não?

PS.: No Rio, água pode matar. Em BH, cerveja está matando. Daí as novas recomendações médicas: Não beba água no Rio de Janeiro, beba cerveja. Não beba cerveja em BH, beba água…

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *