Como a nave que volta ao tempo antigo…

Parafraseando o poeta Luís Guimarães Junior em seu poema Visita à Casa Paterna, eu inicio o Editorial desta semana, assim:

Como a Nave que volta ao tempo antigo… isso diz bem o que estamos vendo na mídia hoje em dia e que, curiosamente, não víamos há tempos atrás.
Isso mesmo, considerando a Internet como uma nave que nos permite viajar ao passado, conhecer o presente e visualizar o futuro, cheguei a uma conclusão: Como eu amo a internet!
Ela tem uma ótima memória e adora destruir a hipocrisia de muita gente.
Esta mídia hipócrita da Globo et caterva, que antes tinha todas as benesses possíveis (e impossíveis) do governo e de seus bancos, agora está há 252 dias  sem ver um tostão do governo federal e deve continuar assim, pelo menos até aprenderem a fazer jornalismo íntegro e apartidário e pagarem ou, pelo menos renegociarem, suas dívidas fiscais e bancárias governamentais (BNDES, BB e CEF).

Arquivo Google – Blog da Renata – Facebook

Há que serem pagos os impostos em atraso e os empréstimos de pai pra filho, concedidos nos governos anteriores.
O Facebook é uma ótima fonte de criatividade.
Logo após o Presidente Bolsonaro autorizar a execução pela Receita Federal de todas as dívidas fiscais, o jornal “A Folha do Comércio” publicou a foto abaixo, ilustrando a manchete:

“Bolsonaro autoriza Execução da dívida da Globo de R$ 358 milhões de impostos sonegados”


A legenda da foto é: “A Receita Federal conclui que Globo usou onze empresas em paraísos fiscais para sonegar impostos pela compra de direitos de transmissão das Copas do Mundo de 2002, 2006, 2010 e 2014. O DARF, a ser recolhido pela emissora de João Roberto Marinho e seus dois irmãos, é de R$ 358 milhões”. Fonte: http://www.folhadocomercio.com.br/folha-do-comercio/?p=7532
A ordem dos chefes é “desestabilizar o Governo Bolsonaro a qualquer preço”.
Cada notícia é, sempre que possível, precedida pela frase: “A crise do governo Bolsonaro” ou qualquer outra semelhante. Vejam a fotomontagem obtida no Facebook a seguir:

Arquivo Google – Facebook – fotomontagem

Esta classe profissional tão importante para o país está precisando ser reciclada. Precisamos, como eu disse, de jornalistas apartidários, compromissados com a relevância de notícia e a verdade dos fatos apurados e não de boizinhos de presépio balançando as cabeças positivamente a cada ordem… quem é jornalista de verdade, não aceita isso.
Alexandre Garcia foi demitido por um tweet :

William Waack por uma acusação de racismo… é claro que este não foi o motivo, mas este foi o divulgado… jornalista de primeiro time como ele, jamais se submeteria a “ordens” deste gênero.
E Sergio Aguiar, cujo motivo divulgado foi que “ele não aceitou redução de salário”… quem aceitaria? Ainda mais sendo ele o âncora de um dos programas de maior audiência do canal GNews, o “Globonews em Pauta”?
A CRISE no governo Bolsonaro:
O governo Bolsonaro não está em crise, até porque nem teve tempo suficiente pra isso.

Foto: também extraída do Facebook

As coisas estão sendo resolvidas de forma gradual e, sempre que a Constituição exige, com o apoio e aprovação do Congresso Federal.

As reformas necessárias estão sendo feitas. A da Previdência já bem adiantada; a Tributária no forno, ainda em fase de negociação, mas as duas mais importantes que são, a meu ver, a Reforma Política e, principalmente, a Judiciária sabemos que será muito difícil, eu diria quase impossível, porque os primeiros “prejudicados” com estas reformas, são exatamente quem as votará e aí sabemos que a coisa não anda, fica engavetada…

Voltando à qualidade e parcialidade desta mídia, chegamos às queimadas. Grave problema no país, e não é de hoje, e que está sendo jogada nas costas do governo Bolsonaro, com notícias do tipo: “o governo demorou a agir”… e quando ele age e cuida do problema, dizem que “agiu errado ou precipitadamente”.
Vejam, por curiosidade, estes dados abaixo: (do INPE)
Em 2005, terceiro ano do primeiro governo Lula, a ministra do Meio Ambiente era a gloriosa Marina Silva. Naquele ano, há 14 anos, segundo os dados do INPE o país havia registrado 125.800 focos de incêndio de janeiro a agosto. Foram usados estes meses para podermos comparar estes dados com janeiro a agosto de 2019.
Da série histórica, iniciada em 1998, até hoje, 2005 foi o pior ano de queimadas no Brasil e neste período, somente em 5 ocasiões os focos de incêndio foram superiores a 100.000 e este pico ocorreu no Governo Lula em 2003, 2004, 2005, 2007 e 2010, este o último ano do Governo Lula.
No governo FHC também ocorreram queimadas graves, como nos anos de 1997 e 1999.
Só para compararmos, de janeiro a agosto de 2019, tivemos 79.500 focos de incêndio, número alto, mas 40% menor do que, por exemplo, o de 2005.
Pois bem, em nenhum destes anos, do governo Lula ou FHC, quando atingimos patamares absurdamente alto, nunca houve uma reação tão grande da mídia nacional e internacional como estamos vendo agora, com artistas e manifestantes indo às ruas e países ameaçando cortes em importação, retaliações, boicotar o Funda da Amazônia, etc.
Com isso, tem-se a sensação de que hoje, queimamos mais do que em qualquer outro momento de nossa história, o que vimos, não é verdade. Sim ainda é um número absurdamente alto, mas muito inferior ao do Governo do PT e PSDB no período citado.
Apenas como ilustração, vejam as fotomontagens (apenas pela inserção dos anos, as capas são reais) das capas da VEJA de 1997, 1999, 2005 e 2008…


As fotomontagens acima foram obtidas em Redes Sociais.

Não começou agora, não é? Além disso o aumento das queimadas que agora se apregoa, reduziu-se no governo Temer, não por ação do governo mas sim porque nos governos Lula-Dilma elas foram para o espaço… e principalmente, não se pode esquecer do Boca de Godê (FHC) de triste lembrança, ou seja, no governo Bolsonaro há menos queimadas do que havia antes, então por que tanta gritaria e estardalhaço da mídia? Partidarismo, é claro!!!
A melhor resposta que podemos dar à esta classe de jornalistas, é boicotar todos os canais, seja impressa, TV ou mídias sociais. Não vejo outra alternativa! Informemo-nos melhor… usemos nossa Nave Internet… pesquisemos na mídia internacional, muito mais isenta…
Li no Facebook esta semana, desculpem, mas não me lembro do autor do post: “Jornalistas rasguem seus diplomas”, mas nem isso tem mais, pois não existe mais a obrigatoriedade de diploma para esta profissão.
Assim, vendo estas publicações, fotomontagens, e os dados oficiais aqui mostrados e, comparando-os com o que esta mídia quer nos mostrar, só mesmo viajando no tempo usando a Nave internet para nos permitir ver, pesquisar e conferir o que realmente aconteceu e ainda acontece, ou não.
Nunca acredite direto no que a mídia diz. Pesquise, duvide, leia, informe-se e, depois, se sobrar espaço para humor, divirta-se com estes memes e brincadeiras que esta Nave nos traz…
E pra terminar, mais um meme…

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *