Wine Enthusiast 100 comentado

O ano vai terminando e a listas de melhores isto ou aquilo vão surgindo nas publicações especializadas.

A revista Wine Enthusiast, embora menos influente que a Wine Spectator, tem como público alvo o grupo de apreciadores que consomem vinho diariamente e buscam comprar suas garrafas com olho na famosa relação custo x benefício, algo bastante questionado nesta área.

O primeiro gráfico apresentado mostra a variação dos preços, do mais barato ao mais caro, de cada uma destas listas: (mercado dos EUA)

A diferença é significativa.

Este fato também explica o resultado dos Top 10, onde o melhor vinho de 2019 é um Prosecco Brut, o espumante italiano elaborado com a casta Glera, que conquistou o mundo.

A listagem, completa, pode ser acessada neste site:

https://www.winemag.com/toplists/enthusiast-top-100-wines-2019/

O quadro, abaixo, demonstra o caráter mais universal das escolhas feitas por esta revista, embora ainda haja um predomínio dos rótulos americanos. Há muito mais países contemplados do que na listagem da semana passada.

Uma das curiosidades fica por conta de um vinho da Geórgia, um corte branco das castas Rkatsiteli e Mtsvane (50/50), elaborado nos famosos Kvevri ou ânforas de barro.

Com relação à tipicidade, os tintos dominam com 55%, seguido dos brancos com 36%. O restante é composto por 5 espumantes, 3 rosados e 1 frisante. Não há nenhum vinho generoso.

Através da mesma metodologia utilizada na coluna anterior, apresentamos um gráfico e uma tabela sugerindo o que pode estar à venda no nosso país.

Atenção para as recomendações sobre a tabela:

1 – Na maioria dos resultados pesquisados, as safras oferecidas são mais antigas do que a da listagem;

2 – Nos casos em que o produto correspondia exatamente ao da relação, o preço aproximado está indicado;

3 – Podem haver diferenças entre os resultados apresentados por conta de denominações imperfeitas;

4 – O preço em US$ é para o mercado americano, serve como comparação e referência dos impostos que incidem sobre o vinho importado, no Brasil.

Há menos opções à venda, por aqui, do que as da Wine Spectator. Em compensação o 1º da lista está disponível, por módicos 161,00.

É uma ótima oportunidade para fazer a “prova dos nove” e se certificar, ou não, que estas listas são confiáveis.

Uma última curiosidade: apenas 4 vinhos estão presentes nas duas relações:

Roar Pinot Noir Santa Lucia Highlands Sierra Mar Vineyard;

Renato Ratti Barolo Marcenasco;

Quinta do Vale Meão Douro;

Bernhard Ott Niederösterreich Am Berg, safra 2017 na WS e 2018 na WE.

Saúde e bons vinhos!

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *