Estariam as garrafas de vidro com os dias contados?

       Foto por Ion Ceban para Pexels

Parece que o vidro é o novo vilão da sustentabilidade no mundo do vinho. Esta discussão já ocorre há algum tempo, a novidade é incluir o meio ambiente como um dos pontos negativos atribuídos a esta tradicional forma de embalagem.

Quase tudo está sendo questionado: o formato pouco eficiente das garrafas, o volume e principalmente as formas de transporte, estes sim, grandes vilões, levando-se em conta a ineficiência de todo este sistema.

Há, inclusive, pesquisas sobre o destino das garrafas vazias. Acreditem, raramente são recicladas…

Historicamente já se armazenou vinhos em diferentes tipos de materiais, entre eles, cerâmica, madeira e couro. O vidro foi a grande novidade, há quatro séculos atrás!

Já existem embalagens alternativas, como as latas e as caixas de papelão que, na verdade, são a roupa para um saco plástico onde está o vinho.

As conhecidas caixinhas de leite também já estão sendo utilizadas para embalar vinhos, sem muito apelo, na verdade.

Uma das novidades mais interessantes vem da Inglaterra, uma garrafa feita de material plástico reciclado, com um formato achatado. Muito mais leve, perfeita para empacotamento e com todos os méritos de ser um produto sustentável.

Nesta mesma linha há uma outra opção, que seria o resultado de “tirar a embalagem plástica que está dentro da caixa”.

Ficou alinhado!

Mais uma variante, desta vez australiana, com raízes espanholas:

Este é um sachê com 250ml, um pouco menos que o conteúdo de uma latinha de cerveja. Super prático e fácil de carregar. O plástico usado é certificado para alimentos e aceito pelos ambientalistas.

Não podemos dizer que esta última embalagem seja uma novidade. É uma atualização das famosas “botas”, muito populares na Espanha, até hoje. Avaliem:

Saúde e bons vinhos!

Foto por Ion Ceban para Pexels

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *