Dicas para o Natal

                                                                                      Imagem de Birte por Pixabay

Natal é, basicamente, uma festa de clima frio. Basta olhar a roupa do querido Papai Noel para entender isto.

A imagem que ilustra este texto mostra um Feuerzangenbowle, tradição germânica de final de ano, onde um torrão de açúcar é encharcado com Rum e flambado, sendo apoiado sobre um rechaud com vinho quente. O caramelo resultante da queima fica pingando sobre o vinho, conferindo um especial sabor. O torrão é constantemente molhado com o destilado até que se dissolva por completo.

Mesmo no sul do Brasil, ou nas nossas regiões mais altas, não haveria clima suficientemente frio para experimentar este ‘aquecedor’ líquido. Talvez com um bom ar condicionado ligado na potência máxima…

Não temos uma tradição natalina tipicamente brasileira. No máximo copiamos e adaptamos receitas dos diversos povos que nos colonizaram, com uma ênfase nos portugueses, pelo menos aqui no Sudeste.

Presunto, Peru e Bacalhau são as estrelas nas mesas de fim de ano, com certas variações como os Salpicões e pratos de massa. No capítulo dos doces o índice glicêmico vai às alturas, com destaque para as lusitanas Rabanadas, sejam elas regadas com Porto, cobertas com sorvete, ou ambos…

Uma coisa é certa: não pode faltar um vinho, preferencialmente um bom espumante.

A ordem do dia são os brancos e os rosados. Gelados, ‘comme il faut’.

Se guardaram aquele tinto, super especial, para esta data, talvez não seja ainda o momento ideal, a menos que o seu microclima residencial garanta temperaturas próximas às do hemisfério norte.

Quer fazer uma surpresa para todos, invista num Champagne ou num dos nossos espumantes top.

Por favor, vamos relaxar as regras de harmonização. Neste fim de ano, tudo se permite, com moderação.

Sem querer ser professor de ninguém, aqui vão algumas recomendações:

– Prefira vinhos jovens e leves, bem frutados e com boa acidez;

– Se a opção for só Espumantes, além dos nacionais pensem nos Proseccos e Cavas;

– Embora menos indicados, tintos leves que podem ser bebidos na temperatura dos brancos, como o Beaujolais Noveau, que aparece em novembro. Combinam muito bem com os assados deste período;

– No capítulo dos doces, os vinhos generosos reinam sozinhos. Porto, Madeira, Moscatel de Setúbal, entre outros, são as principais sugestões. Geladinhos, por favor.

No mais, Feliz Natal!

Saúde e bons vinhos!

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *