Minha madrinha


Saudades da minha madrinha que não era madrinha, era prima irmã da minha mãe. E eu dizia a ela que era minha mãe de coração”. Minha amiga. Companheira de tranca. Conselheira. Faz muita mas muita falta! Seis meses sem minha querida! Repasso essa lembrança que recebi.
Hoje dei uma pausa no meu atelier Cheap & Chic (que já está no pique do Natal) e fui visitar minha madrinha. Uma querida, com seus 90 e poucos anos e mais lúcida que muita gente jovem.
Ela foi logo me oferecendo um pãozinho doce que fez.


Wow… e lá fui eu na cozinha encantada com a nova iguaria. Essa foi a primeira vez que vi essa receita na casa dela e feito por ela.
Perguntei:
– “Madrinha você me dá a receita?
– “Eu faço de cabeça…vou colocando os ingredientes e pronto! ela respondeu.
Pensei num jeito de simplificar a coisa…”Você coloca quanto de farinha?
– “Menos de 1 kg” disse
– Quanto menos? pode ser 200 ou 100grs?. Então vou colocar 1 pacote de 1 kg e ai coloco mais o quê?
E assim fui tirando as informações para fazer o dito pão..Fui vendo a maneira mais fácil mas tudo o que ela faz não tem a receita.

Diz ela:
– “Coloca um pouco de açúcar, 1 pitada de sal, e vai mexendo”
Vou tentar fazer como também tentei fazer o frango ensopado com batatas que ela faz e que “degusto – digo devoro! – de joelhos.”
Soube outro dia por um entendido de gastronomia que o “Confort Food” está em alta. Ou seja comidinha da mãe, da tia ou da madrinha. Eu tento fazer mas não chega nem aos pés do que ela faz. Danadinha…
Bem, irei tentar se der certo a gente se fala! Na dúvida peguei uns pãezinhos para mim e trouxe para casa!
Boa noite amigos queridos. Boa semana para todos!

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *