Cinco dias em Roma

Minhas férias na Itália não poderiam ter sido melhores! A começar pela companhia aérea, a Air Europa http://www.aireuropa.com/br/voos, que eu recomendo muito. É uma empresa espanhola fundada em 1986: preço imbatível, avião novinho, serviço ótimo e super pontual. Voamos de São Paulo para Madri, onde fizemos conexão para Roma.

Vista de Roma –
Foto Yeda Saigh

Em três dias vi Roma como nunca tinha visto antes. O motivo: a guia que nos indicaram, Maria Theresa Vogelgesang[1]
Ela é suíça, fala várias línguas, incluindo o português fluente e prepara roteiros exclusivos, especiais e diferenciados de acordo com o cliente.
Passeios
Roma introdução histórica: começamos com este tour de carro, um passeio básico para se ter uma visão geral de Roma, mas que inclui também lugares charmosos da cidade e não tão conhecidos e turísticos, tais como a belíssima Fontana Dell’Acqua Paola, que aparece no filme “A Grande Beleza.”

Fonte Dell ‘Áqua Paola –
Foto Yeda Saigh

e a fechadura mais famosa do mundo, na Sede da Ordem de Malta, que fica numa praça muito elegante numa das sete colinas de Roma. Ao olhar pelo buraco da fechadura, se avistam três “Estados”: o da Ordem de Malta, o da Itália e o do Vaticano. A cúpula da Basílica de São Pedro se afigura bem ao centro da perspectiva, enquadrada pelos cedros que ladeiam a entrada da Villa do Grão-Priorado, cujo o Palácio abriga a Embaixada da Ordem de Malta na Itália.
Parece um efeito especial cinematográfico. Imperdível!

Fechadura da Ordem de Malta
Foto Yeda Saigh

Nesse tour, vistamos Moisés de Michelângelo, na Basílica de San Pietro in Vincoli, obra de 1505, considerada um monumento clássico da cristandade, síntese de arquitetura e escultura, fusão do heroico antigo e do espiritual cristão. A Basílica foi construída em 431 e é super conhecida também pelo túmulo de Julio II.

Moisés de Michelangelo
Foto Yeda Saigh

Em seguida, fomos à Praça Veneza, onde está o conhecido “Bolo de Noiva” monumento nacional à Vittorio Emanuelle II, primeiro rei da Itália unificada, inaugurado em 1911.

Praça Veneza
Foto Yeda Saigh

Depois fomos ver a Pirâmide de Cestia, construída entre 18 e 12 a.C, túmulo do magistrado Caio Cestio. Impressionante descobrir uma pirâmide maravilhosa de 2017 anos no centro de Roma!

Pirâmide de Cestia
Foto Yeda Saigh

Continuando nosso tour passamos por Circo Massimo, o maior circo do mundo, onde aconteciam as famosas corridas de cavalos. O “jockey” antigo chegou a ter uma capacidade para 250 mil espectadores!
De lá, ao Monte Palatino, residência dos imperadores, que é uma das sete colinas de Roma: de um lado o Fórum Romano e do outro o Circo Massimo. Hoje, um grande museu ao ar livre.
Fomos também ao Monte Aventino, outra das sete colinas de Roma, além de ter admirado a vista incrível pelo buraco da fechadura mais famosa do mundo, na Sede da Ordem de Malta, passeamos no Jardim das Laranjas, muito bonito, calmo, gostoso de passear, com excelente vista da cidade.

Monte Aventino
Foto Yeda Saigh

Na sequência, fomos conhecer La Bocca della Verità. É uma mascara grotesca que está localizada no pórtico do Igreja de Santa Maria in Cosmedin. Reza a lenda que, para saber se uma pessoa estava dizendo a verdade ou não, era preciso colocar a mão dentro da boca. Se ela estivesse mentindo, a boca devoraria sua mão.

La Bocca della la Verità
Foto Yeda Saigh

Aí seguimos para uma praça muito bonita e com uma linda vista onde está a tumba de Anita Garibaldi na colina de Gianicolo: é uma das poucas a homenagear uma mulher. Vimos também o monumento a Garibaldi que é ao lado.

Tumba de Anita Garibaldi –
Foto Yeda Saigh

Passamos por Trastevere, que hoje é o bairro boêmio de Roma, com ruas estreitas de paralelepípedos cercadas por casas medievais e cheio de bares, restaurantes, muito animados.
Encerramos o tour com chave de ouro visitando o Coliseu. Construído por ordem do imperador Vespasiano e concluído durante o governo de seu filho Tito, é um dos mais grandiosos monumentos da Roma antiga e foi erguido sobre a piscina da residência do Imperador Nero. É impressionante ver o que eles fizeram há 2000 anos!! Colocavam ou evacuavam 50 mil pessoas em menos de dez minutos dentro do anfiteatro!!. Só para se ter uma ideia o cenário podia ser trocado em poucos minutos, erguendo palmeiras e transformando o local em um jardim tropical, ou colocar 300 ursos na arena ao mesmo tempo, deixando Hollywood de hoje no chinelo!
Curiosidade;
A guia nos contou que muitos estádios modernos de futebol se inspiraram na construção do Coliseo.

Coliseo
Foto Yeda Saigh

O tour durou quarto horas e foi inesquecível.
No domingo cedo fomos ver o Papa Francisco que quando não está viajando, dá a bênção (Ângelus) e faz um discurso às 12h00 na praça de São Pedro. Nós chegamos às 11h15 e a praça estava vazia. Acredite, lotou em meia hora. O papa apareceu na hora exata e falou por 15 minutos coisas bonitas e emocionantes.

Papa Francisco
Foto Yeda Saigh

Tour do Museu e jardins do Vaticano, Capela Sistina e Basílica de São Pedro:
a guia já tinha nossos ingressos, caso contrário, a fila demoraria mais de quatro horas! Visitamos dois jardins, o primeiro com uma escultura maravilhosa do grande escultor contemporâneo Arnaldo Pomodoro

Escultura Arnaldo Pomodoro –
Foto Yeda Saigh

e o páteo Belvedere, também muito bonito com maquetes de fotos da Capela Sistina, muito agradável para passear e que nos prepara para o que iremos ver.

Jardim do Vaticano –
Foto Yeda Saigh

O museu é incrível, muitas esculturas, a maioria da Roma antiga copiando as gregas. Em seguida visitamos a Galeria dos Candelabros com lindas obras romana da época helenística e a Galeria das Tapeçarias, com motivos bíblicos e uma só de navegações.

Museu do Vaticano –
Foto Yeda Saigh

A Capela Sistina é um programa à parte! Famosa pela sua arquitetura, inspirada no tempo de Salomão do antigo testamento, e sua decoração em afrescos, pintada pelos maiores artistas da Renascença: Michelângelo (fez o Juízo Final na parede do fundo e no teto a história do antigo testamento), Rafael, Bernini e Botticelli as paredes dos lados. A capela tem seu nome em homenagem ao papa Cisto IV, que restaurou a antiga Capela Magna entre 1477 e 1480.
Para entrar, sempre tem uma fila grande e dentro tem dois guardas que ficam pedindo silêncio e dando ordens. Na saída, se você quiser, tem um café bem simpático.

Capela Sistina
Foto Google

De lá, a guia nos levou direto a pé, por um caminho interno, para a Basílica de São Pedro, que é simplesmente deslumbrante. É uma basílica dentro do Estado do Vaticano e o maior e mais importante edifício religioso do catolicismo, uma dos locais cristãos mais visitados no mundo. Cabem mais de 60 mil pessoas,
Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco, foi reconstruída pela papa Julio II em 1505.
Saindo da Capela tem um café bem simpático para se tomar um expresso e comer alguma coisa.
Curiosidade;
Segundo nossa guia 40% das obras de arte da Europa estão em Roma.
Da Capela fomos a pé até Basílica S. Pedro. A Basílica mede 135mts. de altura X 200mts de comprimento!! Cada letra pintada no teto tem 2mts., não dá para acreditar, de onde nós estávamos vendo eu diria que teriam 30cms! Os escritos do Novo Testamento tem 15mts.

Basílica de São Pedro
Foto Yeda Saigh

A segunda tour fizemos a pé: almoçamos no no restaurante Due Ladrone, muito bom e a guia nos pegou lá. Começamos indo a pé até a Piazza Navona: é uma das mais célebres praças de Roma. A sua forma assemelha-se à dos antigos estádios da Roma Antiga,foi também o antigo Campomarzio, lugar de manejo de armas e jogos atléticos que aí se realizavam, abrigando até 20 mil espectadores sentados nas bancadas. No centro a famosa Fontana dei Quattro Fiumi, de 1651 de Gian Lorenzo Bernini: a praça tem ainda duas outras fontes esculpidas por Giacomo della Porta – a Fontana di Nettuno (1574), na área norte da praça, e a Fontana del Moro (1576), na área sul, todas lindíssimas.

Piazza Navona
Foto Yeda Saigh

Embaixada do Brasil – O Palazzo Pamphili na Piazza Navona foi construído entre 1644 e 1650. Por volta de 1920 a Princesa Orietta Doria Pamphili alugou parte do Palácio para a Embaixada do Brasil. Em 1960, através do Embaixador Hugo Gouthier de Oliveira Gondim, o Palácio Pamphilli tornou-se propriedade do Brasil, sendo inaugurada em 1961.

Embaixada do Brasil
Foto Yeda Saigh

Passamos pelo Campo de Fiori ou Mercado das Flores: todos os dias, exceto aos domingos, lá ocorre o mercado mais rico de história e pitoresco de Roma. No meio da praça há uma estátua, de 1881, em homenagem a Giordano Bruno, filósofo, teólogo e monge dominicano italiano, da época do Renascimento. Ficou famoso por ter sido condenado a fogueira e queimado vivo naquele local em 1600 pela Inquisição, por ter afirmado, assim como Galileu Galilei, que a Terra é que girava em torno do Sol e não o contrário.
Depois seguimos até a Embaixada da França que fica no Palazzo Farnese, o mais imponente palácio italiano do século XVI: este edifício foi encomendado por Alessandro Farnese, cardeal, em 1493, com a idade de 25 anos (graças à sua irmã, que era amante oficial do Papa Alexandre VI Bórgia). Ele foi eleito Papa Paulo III e encarregou Michelangelo de completar o terceiro andar. O Palazzo Farnese passou por herança para os Bourbon, Reis de Nápoles, de quem o governo francês o comprou em 1874. Embora o governo de Mussolini tenha resgatado o edifício em 1936, a embaixada francesa permanece no palácio através de um arrendamento por 99 anos. A arquitetura do Palácio Farnese foi copiada em vários edifícios na França, nos Estados Unidos e na Austrália.

Embaixada da França
Foto Yeda Saigh

Depois continuamos pelo Ghetto andando por praças e lugares lindos. Passamos pela Fonte das Tartarugas, uma das mais belas de Roma.

Fonte das Tartarugas –
Foto Yeda Saigh

Chegarmos no Palácio Mattei di Giove construído pelo Duca Asdrubale Mattei no século XVI. As antiguidades ainda hoje existentes no Palácio fazem parte de uma das coleções privadas mais ricas de mármores antigos existentes em Roma.

Palácio Mattei
Foto Yeda Saigh

Do Palácio Mattei di Giove, passando pelos becos charmosos de Roma, chegamos em poucos minutos nas escadarias do Capitólio ou monte Capitolino, outra das famosas sete colinas de Roma. De 1536 a 1546, o Papa Paulo III encarregou Michelangelo de redesenhar a praça e transformar o Capitólio. A ideia de redesenhar a praça nasceu quando se preparava a visita do imperador Carlos V de Habsburgo em 1536. Michelangelo resolveu transformar o monumento equestre ao imperador Marco Aurélio, transferido para o Capitólio em 1538, na sua principal atração. A vista para o Fórum Romano é espetacular, recomendo muito essa visita.

Capitólio
Foto Yeda Saigh

Curiosidade
O apartamento romano de Sophia Loren fica num prédio bem na frente do Capitólio, e parece muito bonito.
Vimos a estátua da Loba com Rômulo e Remo em uma praça ao lado da Prefeitura

Loba
Foto Yeda Saigh

e subimos uma grande escadaria para visitar a Basílica di Santa Maria D’Aracoeli: as colunas internas foram trazidas do Fórum Romano e do Palatino, nenhuma é igual a outra, muito interessante! O teto é ricamente decorado em homenagem a vitória na Batalha de Lepanto e ainda tem os belos afrescos e a estátua do Jesu Bambino, super conhecido por ajudar as mães desesperadas. O chão é muito valioso, muito antigo com tumbas. Todas as mães romanas pedem por seus filhos.
Terminamos a tour no Café Ducatti, um lugar muito interessante com todos modelos das motos desde o antigo até hoje.

Café Ducatti
Foto Yeda Saigh

Hotéis
de Russie*****
da cadeia Rocco, famoso e elegante hotel na Via Del Balbuino, tem jardins lindos e arquitetura clássica, a poucos passos da Piazza del Popolo e Pincio Terrace, perto de Basílica e Roman Forum de São Pedro. O restaurante ‘Le Jardin de Russie’ para almoçar tem um ambiente muito agradável com terraço e um buffet ótimo!
https://www.roccofortehotels.com/hotels-and-resorts/hotel-de-russie/

Hotel de Russie –
Foto Yeda Saigh

Inghilterra*****
Muito conhecido por hospedar as modelos do Valentino, está localizado no coração de Roma, a 200 mts. da Piazza di Spagna. Dá para ir a pé fazer boas compras e também a muitos bons restaurantes. O Restaurante do hotel Café Romano, fica aberto o dia todo, e é muito bom.
Via Bocca di Leone, 14, 00187 Roma, Itália
+39 06 699811

Hotel Inghilterra
Foto Yeda Saigh

Restaurantes
Ginger: restaurante e empório. O jantar foi ótimo e saudável.
http://www.ginger.roma.it
Due Ladroni: restaurante muito bom para almoçar, com uma área externa muito simpático, com vista para a Piazza Nicosia, no coração de Roma, a poucos passos da Piazza Navona. A cozinha do restaurante é tradicional italiana, com um olho para o napolitano.
http://www.dueladroni.com
Piazza Nicosia, 24, 00186 Roma, Itália
+39 06 686 1013
Nino
Um dos mais antigos restaurantes de Roma, oferece pratos da cozinha romana típica, sendo uma de suas especialidades a pizza preparada em forno à lenha. Além disso, nesse restaurante você também poderá provar uma das sobremesas caseiras mais típicas da Itália, o delicioso tiramisu.Para os apreciadores do vinho, o restaurante também conta com uma completa lista de vinhos italianos
Via Borgognona, 11 
Roma
Para terminar um provérbio italiano:
“Chi bene incomincia è a metà dell’opera”.
Um começo bem feito é meio caminho andado.

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *