Samsung anuncia linha Galaxy Note 20 no Brasil custando até R$ 8.000

Note 20 e Note 20 Ultra são os primeiros celulares da empresa compatíveis com o 5G brasileiro

por Renato Santino

A Samsung revelou nesta quarta-feira (2) a chegada da nova geração do Galaxy Note no Brasil, formada pelo Note 20 e do Note 20 Ultra. Os aparelhos entram em pré-venda no país a partir da quinta-feira (3), mas o produto chega às lojas a partir de 18 de setembro, custando até R$ 8.000 pelo modelo mais avançado.

Começando pelo que é único da linha, a Samsung implementou algumas melhorias na caneta que reduziram ainda mais o tempo de resposta da caneta, levando a latência para até 9 milissegundos. A mudança torna a escrita e o desenho no display mais natural. Além disso, o aparelho também trouxe novos comandos de navegação com a S-Pen, que permitem dispensar os botões típicos do Android.

Por dentro, a Samsung aposta no que há de melhor neste momento. Os aparelhos saem de fábrica com duas opções de processadores, mas as versões brasileiras utilizarão o chipset Exynos 990, produzidos pela própria empresa. As baterias são de 4.300 mAh e 4.500 mAh e sistema de recarga rápida, permitindo carregar 50% da bateria em meia hora.

A empresa aposta em alto desempenho para games com um modo chamado de Game Booster, que identifica atividades mais exigentes e intensifica o uso do processador de acordo. Para minimizar o aquecimento do aparelho, a Samsung implementou um sistema de resfriamento por câmara de vapor, descrita pela companhia como a mais fina do mundo, permitindo minimizar o impacto no design do produto.

Em relação a câmeras, a Samsung implementou uma configuração de câmera tripla nos dois modelos. A principal delas tem uma contagem maior de pixels, dependendo do modelo escolhido, que pode ser de 108 MP no Ultra e 64 MP no Note 20 simples. Já os outros dois sensores são iguais, com um sensor ultra-wide de 12 MP e outro telefoto também de 12 MP. O zoom do Note 20 Ultra é óptico de até 5x, utilizando uma lente periscópio, enquanto o Note 20 é híbrido limitado a 3x.

A Samsung destaca principalmente as capacidades de vídeo da linha Note 20, permitindo realizar gravações com resolução 8K com taxa de 24 quadros por segundo e proporções de 16:9 e 21:9. O aparelho também permite alternar rapidamente entre diferentes microfones em uma configuração padrão, ou utilizar apenas o microfone frontal ou o traseiro, ou então dispositivos externos conectados via USB ou Bluetooth. A alternação entre as entradas de áudio pode ser feita em tempo real, sem precisar parar a gravação. A empresa também implementou um modo “Pro”, possibilitando ajustes finos, como foco manual, controle de brilho, balanço de branco e velocidade de zoom, que eram funções antes limitadas à fotografia.

Os aparelhos são distintos em questão de armazenamento e memória RAM. O Note 20 padrão é levemente mais modesto, que se reflete em seu custo um pouco mais acessível. No Brasil, o modelo mais acessível chega com 8 GB de memória RAM e 256 GB de armazenamento, enquanto o Ultra terá 12 GB de RAM e os mesmos 256 GB de espaço.

Eles também divergem na questão da tela. Enquanto o Note 20 tem uma tela mais simples, com qualidade Full HD+ e um pouco menor, com 6,7 polegadas, o Note 20 Ultra tem um display maior e mais parrudo, com 6,9 polegadas e definição Quad HD+.

O Note 20 também é um dos poucos aparelhos preparados para o 5G brasileiro. A Samsung destaca que os celulares já vêm com suporte às bandas do 5G após o leilão das frequências previstas para 2021, mas o dispositivo já é equipado para funcionar com o 5G DSS, recém-implementado no Brasil por operadoras como Claro e Vivo utilizando as frequências já utilizadas para o 4G. No entanto, o dispositivo não terá suporte às ondas milimétricas no Brasil, que prometem o desempenho máximo do 5G; o recurso só estará disponível nos Estados Unidos.

Galaxy Buds Live

A Samsung introduziu uma renovação da linha de fones sem fios Galaxy Buds com o modelo Live, que se destaca dos demais pelo seu design e por não ser intra-auricular, permitindo um encaixe apenas com o exterior do ouvido. Os aparelhos chegam ao país custando R$ 1.300, com pré-venda começando no dia 3 de setembro e início das vendas em 18 de setembro.

Como outros aparelhos do tipo, os Buds Live vêm com um estojo que funcionam como carregador e armazenam energia para abastecer os fones durante a inatividade. A Samsung promete até 6 horas de uso com mais 21h de carga no estojo, que pode ser carregado sem fio por indução.

A Samsung destaca o esquema de microfones do dispositivo, que conta com três entradas de som: duas externas e uma interna. A empresa explica essa configuração devido à ação inteligente do fone, que consegue detectar ruído excessivo; caso o ambiente esteja muito barulhento, os microfones externos são cancelados para favorecer o interno, para garantir conversas com mais qualidade. Da mesma forma, o equipamento é capaz de usar acelerômetros para detectar os movimentos faciais do usuário para detectar que ele está falando, permitindo cancelar o microfone quando ele estiver em silêncio, também para reduzir ruído nas chamadas.

Um recurso importante dos Galaxy Buds Live é o cancelamento de ruído ativo, que reconhece sons externos e os neutraliza. No entanto, a Samsung destaca que o recurso funciona de forma seletiva, utilizando a tecnologia para permitir que alguns sons externos considerados importantes “vazem” ao usuário, como alertas de som em aeroportos, por exemplo.

Galaxy Watch 3

A Samsung renovou sua linha de smartwatches com o Galaxy Watch 3, que chega ao mercado em duas versões, que diferem basicamente em tamanho e, consequentemente, em bateria. A versão de 45 milímetros tem uma bateria de 340 mAh, com preço sugerido de R$ 3.000, enquanto a de 41 mm tem 247 mAh e custará R$ 2.700.

Em tempos de coronavírus e mais pessoas preocupadas com suas saúdes, a Samsung destaca alguns recursos interessantes para o momento. Os modelos são capazes de realizar a leitura da pressão arterial e eletrocardiogramas dos usuários com precisão médica, segundo a empresa. Também há o recurso de medição de oxigenação sanguínea, mas neste caso a companhia ressalta que a função não serve para diagnóstico médico. Por fim, há também um detector de quedas, que permite alertar de forma automática até quatro pessoas caso o sensor perceba que o usuário com dificuldades de locomoção caiu no chão.

O Galaxy Watch 3 ainda conta com sistema de pontuação do sono, monitoramento de ciclos menstruais para mulheres, e geração de relatórios para atividades físicas. O aparelho também permite uma série de interações com o celular sem precisar tirá-lo do bolso, como controlar reprodução de música, disparar a câmera ou controlar apresentações.

Fonte: Olhar Digital

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *