Pior que a COVID-19! Hackers utilizam a pandemia da doença como isca para lesar usuários

Hackers vêm se utilizando de tudo que é método conhecido para lesar usuários que buscam informações sobre a COVID-19. #FiqueEmCasa, Previna-se!

Pior que a COVID-19! Hackers utilizam a pandemia da doença como isca para lesar usuários.

Por Bernardo Silva

Como as pessoas em todo o mundo mobilizadas e sempre em busca de novas informações a respeito do novo coronavírus, na tentativa de se manterem seguras e evitar a doença, muitas estão recorrendo a novos aplicativos e ferramentas de comunicação para trabalhar, aprender, acessar informações e permanecer conectado com seus entes queridos.

Embora essas ferramentas sejam úteis em nosso dia a dia, elas também podem trazer novos riscos a segurança online.

Um grupo de analistas do Google, que monitora Ameaças Digitais, vem acompanhando continuamente atividades sofisticadas de hackers que vêm se utilizando de tudo a respeito da COVID-19 em ataques, e-mails de phishing, que se apresentam como mensagens de instituições de caridade e ONGs que lutam contra o COVID-19, instruções de “administradores” a funcionários que estão trabalhando em casa e até mensagens falsas de órgãos de saúde.

Tipos comuns de golpe on-line

Esse monitoramento de ameaças digitais do Google, nas últimas semanas, identificaram sites carregados de malwares que se apresentam como páginas de login para contas de mídia social populares, organizações de saúde e até mapas oficiais de coronavírus.

Durante esse período foram registrados mais de 18 milhões de tentativas diárias de malware e phishing relacionadas ao COVID-19, além de mais de 240 milhões de mensagens de spam relacionadas ao COVID-19.

Com base em um sistema de aprendizado de máquina o Google vem conseguindo proteger os usuários que utilizam seus produtos, identificando e impedindo automaticamente que tais ameaças cheguem até você.

Mas tal ferramenta não é 100% eficaz, embora no Gmail, por exemplo, o Google consegue detectar e bloquear mais de 99,9% de spam, phishing e malware, temos que também tomar cuidado até com mensagens que possam parecer acima de qualquer suspeita.

Saiba como os golpistas podem chegar até você

Os golpistas estão aproveitando o aumento das comunicações do COVID-19, disfarçando seus golpes como mensagens legítimas sobre o vírus. Além dos emails, os golpistas também podem usar mensagens de texto, chamadas automatizadas e sites maliciosos para entrar em contato com você.

Visite sites oficiais diretamente

Os golpistas geralmente se apresentam como fontes conhecidas, confiáveis ​​e autorizadas. Visite diretamente fontes como os do Ministério da Saúde, WHO.int ou CDC.gov para obter as informações factuais mais recentes sobre a COVID-19.

Tenha cuidado com solicitações de informações pessoais ou financeiras

Se você receber uma solicitação de informações pessoais ou financeiras, reserve um tempo extra para avaliar a mensagem. Os golpistas geralmente solicitam que você insira informações de login ou compartilhe dados e endereços bancários com eles. Eles também podem solicitar pagamento por transferência bancária ou moeda virtual.

Doe diretamente através para as organizações sem fins lucrativos

Alguns golpes se aproveitam da boa vontade, solicitando doações para os esforços de socorro da COVID-19. Faça alguma pesquisa para garantir que a organização sem fins lucrativos seja legítima.

Os golpistas também se apresentam como organizações sem fins lucrativos legítimas. Para ter mais certeza de que seu dinheiro chegará a uma organização sem fins lucrativos, você pode doar diretamente através do site deles – em vez de clicar em um link enviado a você.

Verifique os links e endereços de e-mail antes de clicar

Links falsos geralmente imitam sites estabelecidos adicionando palavras ou letras extras. Se aparecer algo como “clique aqui”, passe o mouse sobre o link ou pressione e segure o texto para verificar se há erros no URL – tomando cuidado para não clicar nele. Palavras com erros ortográficos ou letras e números aleatórios no URL ou no endereço de email também podem indicar uma farsa.

Pesquise para ver se a informação realmente é verdadeira

Se alguém lhe enviou uma mensagem fraudulenta, é provável que também a tenha enviado a outras pessoas. Copie e cole o endereço de e-mail, o número de telefone ou a parte mais suspeita da mensagem em um mecanismo de pesquisa para verificar se foi denunciado por outras pessoas.

Sempre é bom se prevenir! #FiqueEmCasa

Fonte: Oficina da Net

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *