Adianta proteger o para-brisas do carro com a mão para que uma pedra não o quebre?

De acordo com o engenheiro John McNeill Ingham, este costume tem bons fundamentos teóricos. Em contato com o vidro, o corpo é capaz de absorver parte da energia da pedra e, além disso, pode evitar uma possível vibração, que propagaria pequenas trincas. “Na prática, porém, os dedos surtem pouco efeito”, garante o profissional. Ele próprio já teve o vidro estilhaçado durante uma viagem em estrada de cascalho, mesmo com um amigo apoiando o pé na superfície do vidro.

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *