Pienza, uma joia na Toscana

A Toscana, na Itália, é uma daquelas regiões do mundo que não tem como a gente não gostar. É uma unanimidade. Mas cada pessoa tem suas cidades preferidas num conjunto de inúmeras opções. A maioria prefere Florença ou Siena, como resistir a elas? São deslumbrantes. Eu tenho um chamego todo especial por Pienza, um vilarejo de 2 mil habitantes, que arrebatou meu coração desde a primeira visita.

Localização de Pienza em relação a Montalcino (à esquerda) e Montepulciano (à direita)
(Fonte: googlemaps.com)

Pienza encontra-se a 15km de Montepulciano, a 20km de Montalcino e a 50km a sudeste de Siena. Está localizada na parte mais bonita da Toscana – no Val D’Orcia. Este vale estende-se do sul de Siena até o Monte Amiata (ao sul de Pienza). É a região dos campos de feno, que parecem tapetes aveludados, e se houver uma brisa no ar, aí esses tapetes ondulam e com certeza você irá se apaixonar de vez. Foi assim comigo.

Vista do belíssimo Val D’Orcia a partir de Pienza. Seus campos de feno parecem tapetes aveludados. Inesquecível!
(Fonte: Mônica Sayão)

Há também lindas áreas de vinhedos, mais particularmente próximas à Montalcino e Montepulciano (viva os Brunellos, os Nobiles e todos os outros maravilhosos vinhos da região). Em maio há campos de papoulas vermelhas e no verão campos de girassóis, que dão um colorido extra a uma paisagem já magnífica. Desde 2004, o Val D’Orcia foi reconhecido pela Unesco como Patrimônio Mundial.

Os campos de papoulas surgem em maio salpicando os campos verdes de vermelho.
(Fonte: Mônica Sayão)
No verão é a vez dos lindos campos de girassóis. Impactante!
(Fonte: www.roteirosincriveis.uol.com.br)

O nome Pienza vem do Papa Pio II, um nativo do local, e significa “cidade de Pio”. Ao ser eleito Papa, em 1458, ele quis transformar seu desconhecido e pequeno vilarejo natal, de nome Corsignano, em uma cidade renascentista ideal.
As diretrizes e ideais do Renascimento floresciam naquela época, principalmente em Florença. Ele contratou o arquiteto Bernardo Rossellino para idealizar e construir a nova cidade sobre a existente, e assim nasceu Pienza, erguida em quatro anos, e que se transformou numa cidade renascentista modelo.
A morte do Papa, em 1464, aos 58 anos, interrompeu o projeto papal, mas o que foi erguido em Pienza permaneceu praticamente inalterado ao longo dos séculos.
O que faz dela tão especial assim, dentre tantas outras?
Primeiro, a localização no Val D’Orcia com as mais lindas vistas a partir de suas muralhas antigas. E também por estar numa posição geográfica perfeita como base para visitar as cidadezinhas mais atraentes do sul da Toscana: Montalcino, San Quirico D’Orcia, Bagno Vignoni, Montepulciano, Cortona, entre outras.
Por ser plana, o que é muito raro na Toscana, apesar de construída sobre uma colina de 500m de altitude. Por ser encantadoramente pequena, cheia de charme e genuína. Por ainda não ser tão famosa e assim ter uma afluência menor de turistas.
O mapa abaixo mostra seu tamanho. O que o leitor vê é o centro histórico. Fora isso, são umas poucas ruas com ótimas casas, que na realidade foram erguidas nas vias de acesso à Pienza.

Mapa do centro histórico de Pienza. (Fonte: www.turismotoscana.es)
Belas propriedades ao longo das vias de acesso ao centro histórico de Pienza.
(Fonte: Mônica Sayão)

A rua principal do centro histórico é a Corso Rossellino (homenagem ao arquiteto). Ela cruza a pequena cidade e liga as duas entradas históricas opostas, a Porta al Prato e a Porta al Ciglio. Nessa rua está a maior parte do comércio local: restaurantes, cafés, delicatessens divinas, lojinhas de souvenirs e outras de moda. É também onde está a Piazza Pio II, onde estão a Catedral e três palacetes renascentistas: a Prefeitura, o Palácio Episcopal e a residência da família Piccolomini (sobrenome do Papa Pio II). É importante ressaltar que o centro histórico é só para pedestres.

Corso Rosselino, o eixo principal de Pienza, com a torre da Prefeitura ao fundo.
(Fonte: Mônica Sayão)
O comércio de Pienza se concentra nesta via. São lojas encantadoras!
(fonte: Mônica Sayão)
Detalhes charmosos para chamar a atenção dos visitantes. (Fonte: Mônica Sayão)
Delicatessens maravilhosas, com uma infinidade de produtos locais, em especial
o queijo pecorino, típico da região. (Fonte: Mônica Sayão)
A Catedral de Pienza na Piazza Pio II, com sua fachada renascentista.
(Fonte: italymagazine.com)
Interior da Catedral. (Fonte: www.italia.it)
A lateral da Catedral e uma parte da muralha de Pienza de onde se descortinam
as paisagens mais fantásticas. (Fonte: Mônica Sayão)
A muralha contorna grande parte da cidade. É daqui que celebramos o pôr do sol.
(Fonte: Mônica Sayão)
Lindas imagens a partir das muralhas de Pienza. (Fonte: Mônica Sayão)
Uma cidade tem que uma rua chamada de Via dell’Amore já diz tudo. (Fonte: Mônica Sayão)

Após percorrer a rua principal e admirar as vistas deslumbrantes a partir de suas muralhas, é hora de se perder pelas pequenas ruas no entorno da Via Rossellino e descobrir recantos fantásticos.






Há vários bons restaurantes no centro histórico de Pienza, como a Trattoria Latte di Luna e a Trattoria La Bucca dele Fate. Recomendo os dois – comida italiana caseira com preço justo.
Quanto à hospedagem, gosto muito do Hotel Corsignano, a 200m do centro histórico. Vantagem: você chega de carro até o hotel. Com malas, é sempre bom!
Há também muitas opções de agriturismo, com hospedagem e refeições, alguns bem sofisticados.

A Trattoria Latte di Luna tem uma área interna para dias frios ou chuvosos.
(Fonte: Mônica Sayão)
Interior da Trattoria La Buca dele Fate, negócio familiar.
(Fonte: Mônica Sayão)
E sua deliciosa massa caseira com trufas. (Fonte: Mônica Sayão)

Como falei hoje sobre o pôr do sol de Pienza, termino aqui com uma das inúmeras imagens que tirei em outubro de 2018.

Memorável pôr do sol em Pienza. (Fonte: Mônica Sayão)

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *