Paris, sempre Paris

A tranquilidade e o prazer de estar em férias conjugado àquele friozinho típico do hemisfério norte nesta época do ano, me fez suspirar ao chegar à Cidade-Luz. Foi meu primeiro destino neste período de preciosos 40 dias de férias, que começaram no início de dezembro passado. Paris estava mais bonita do que nunca, toda enfeitada para as festas de final de ano. Decoração elegante, sem exageros, mas criativa e muitas vezes surpreendente – como a própria cidade.
Já desconfiava, e agora tenho certeza, de que o Natal não combina com calorão nem com engarrafamentos. Moro no Rio de Janeiro, vocês vão me entender! No Brasil é maravilhoso poder confraternizar com a família, mas os preparativos podem ser bem estressantes, vocês não acham?
Voltando à Paris, como este é meu terceiro pré-Natal seguido na cidade, vou começar pela hospedagem. Usualmente fico em Saint-Germain-des-Prés, bairro descontraído e  delicioso, do lado esquerdo do rio Sena. Mas em dezembro me desloco para a área da Ópera Garnier, do outro lado do rio.
Meu hotel favorito nesta área é o H. Indigo Ópera, numa rua larga de pedestres, transversal ao Boulevard des Capucines. Este hotel-boutique foi inaugurado em 2014 e pertence ao grupo dos hotéis Intercontinental. Tem decoração moderna e acolhedora, cheia de detalhes charmosos. É hotel com quartos grandes, camas deliciosas, banheiros moderníssimos, e um serviço muito atencioso e simpático. Adoro! É importante a gente se hospedar num bom hotel, isto faz parte da viagem. A diária não é barata, mas é razoável para Paris. E não é daqueles hotéis proibitivos, que a gente adoraria ter grana para pagar! www.ihg.com

O Hotel Indigo Ópera está numa rua de pedestres, com o Boulevard des Capucines ao fundo. Localização maravilhosa!
(Foto: Mônica Sayão)
Hotel Indigo Ópera: há um bar e restaurante conjugados no lobby do hotel. A mesa vermelha fica no lounge externo.
(Foto: Mônica Sayão)
Hotel Indigo Ópera: balcão do bar também descontraído e moderno.
(Foto: Mônica Sayão)
Hotel Indigo Ópera: sala de café da manhã é um charme.
(Foto: Mônica Sayão)

A região do hotel é estratégica porque você pode conferir as lindas vitrines de Natal das Galerias Lafayette e Printemps, dar uma espiada na decoração natalina da Praça Vendôme, e ir até a Place de la Concorde, onde fica a roda-gigante e onde começa um dos mercados de Natal mais tradicionais da cidade.

Árvore de Natal das Galerias Lafayette: a cada ano uma árvore mais criativa.
(Foto: Mônica Sayão)
Vitrine de Natal das Galerias Lafayette: as crianças amam… e os adultos também!
(Foto: Mônica Sayão)
Decoração no Boulevard Hausmann, em frente à loja de departamentos Printemps.
(Foto: Mônica Sayão)
Vitrine dos chocolates Lindt, quase ao lado do hotel.
(Foto: Mônica Sayão)
Praça Vendôme: chique demais.
(Foto: Mônica Sayão)
Praça Vendôme: a praça é quadrada e em cada canto há um grupo de árvores iluminadas.
(Foto: Mônica Sayão)

Sem contar que você estará ao lado da Praça da Madeleine, onde há o Fauchon (e suas delícias) e o lindo Café Pouchkine (vale conferir seu interior). Um pouco depois estará o Ladurée com seus macarons e tudo mais de delicioso que você possa imaginar. E logo adiante você estará na Rua Saint Honoré, com suas muitas boutiques, restaurantes, cafés e outras tantas pâtisseries. E tudo enfeitado para o Natal, com estilo e bom gosto.

Fauchon, templo das “gordices”, na Praça da Madeleine.
(Foto: Mônica Sayão)
Ladurée e seus macarons divinos, pertinho da Praça da Madeleine.
(Foto: Mônica Sayão)
Village Royal, entre a igreja da Madeleine e a rua Saint Honoré: pequeno mas com muito estilo.
(Foto: Mônica Sayão)

E para concluir o assunto “hotel”, o H. Indigo Ópera fica bem próximo à Ópera Garnier. Pode ter coisa melhor do que assistir a um espetáculo clássico neste teatro incrivelmente lindo? E voltar a pé para o hotel, parando em um bistrô para uma sopa de cebola no final da noite? Isto é uma das coisas que me dá mais alegria, e sempre recomendo que nossos passageiros façam pelo menos uma vez na vida.

Ópera Garnier: o Teatro Municipal do Rio foi inspirado no Garnier.
(Foto: Mônica Sayão)
Ópera Garnier: muito lindo!
(Foto: Mônica Sayão)
Ópera Garnier: detalhe do teto do Grand Foyer.
(Foto: Mônica Sayão)
Ópera Garnier: sala de espetáculos principal, com todo luxo e requinte, e com detalhe da cúpula pintada por Marc Chagall.
(Foto: Mônica Sayão)

Os mercados de Natal ao ar livre são uma tradição, não só na França, como em outros países europeus. Em Paris não é diferente – na Champs-Élysées, na Praça do Trocadéro, no la Défense, no entorno da igreja de Saint-Germain-de-Prés, na Praça Saint Sulpice etc. Esses mercados são encantadores e se encontra desde queijos, vinhos, crepes, chocolates quentes, até artesanato natalino, produtos da Provence etc. – ótimo para os presentinhos de nossas listas de Natal.
O maior deles é o da avenida Champs-Élysées, no trecho entre a Place de la Concorde e o Rond Point, mas que não aconteceu este ano. Pois é, o Conselho Municipal de Paris vetou esse mercado porque considerou que os produtos vendidos ali no último Natal não eram de boa qualidade, e que em meio a artigos produzidos artesanalmente por franceses, havia também produtos asiáticos industrializados. Ponto para a prefeitura de Paris! Parece que até a roda gigante instalada nesta época do ano na Place de la Concorde corre o risco de ser banida do local, por ser instalada em local tão histórico. Na minha opinião, mais um ponto para a prefeitura!

Roda gigante na Place de la Concorde: risco de ser removida no próximo inverno.
(Foto: Mônica Sayão)

Ainda não falei de um dos ícones de Paris – a própria avenida Champs-Élysées. Considerada por muitos como a avenida mais bonita do mundo, no Natal ela tem suas árvores iluminadas, criando uma imagem bem bacana. A iluminação não é feérica, mais é elegante, como tudo mais nesta cidade. Ainda há a avenida Montaigne, esta sim a rua mais exclusiva de Paris, com luzes natalinas em profusão.

Avenida Champs-Élysées: achei melhor mostrá-la de dia, é bonita de qualquer maneira.
(Foto: Mônica Sayão)
Avenida Montaigne, show de luzes!
(Foto: Mônica Sayão)

E se estamos falando de ícone, como deixar a catedral de Notre Dame de fora? Ela também se veste para o Natal. No seu interior, de maneira discreta, mas no exterior, uma linda árvore natural com luzes azuis encanta a todos. Seja você religioso ou não, católico ou não, a catedral é imagem forte, emocionante, e enfeitada de azul, mais linda ainda.

Catedral de Notre Dame por dentro
(Foto: Mônica Sayão)
Catedral de Notre dame por fora
(Foto: Mônica Sayão)

E que Deus nos proteja!!!

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *