O Porto e seus encantos – Parte 1

Tentei resistir e não falar sobre o Porto agora – pensei que seria uma overdose de Portugal para os leitores do O Boletim. Mas pelo retorno que tive dos leitores, não deu para deixar para depois. Vamos ao Porto? Além do mais, o rio Douro, tema dos dois posts anteriores, ao se aproximar do oceano Atlântico, banha o Porto de um lado e Vila Nova de Gaia do outro. Então faz todo sentido completar esta “saga”.
Eu diria que Porto-Vila Nova de Gaia são a versão portuguesa de Rio-Niterói, guardadas as devidas proporções, é claro. No caso português, cruza-se rapidamente o Douro a pé ou de automóvel pelas várias pontes que ligam as duas cidades e o visual é completamente diferente.

Foto 1 – Vista do Porto, com parte da Ponte D. Luis I,a partir de Vila Nova de Gaia.
(Foto: Mônica Sayão)

Muito já se falou e se escreveu sobre o Porto, sua culinária e centro histórico com arquitetura tão familiar a nós brasileiros, com fachadas revestidas de azulejos, e lindas igrejas barrocas com talhas douradas em seu interior. Acrescente-se a isto as ladeiras charmosas da Ribeira com roupas penduradas para secar, o imponente Douro logo ali abaixo, as inúmeras caves de vinhos em Vila Nova de Gaia …hummm, só isto já faz o lugar muito interessante.
Tenho visitado a cidade diversas vezes nos últimos 10 anos – sorte a minha! E assim como em outras cidades deste lindo país, o Porto tem-se modernizado muito, com excelentes novos restaurantes, hotéis e comércio, sem perder suas características e herança cultural.
Há várias maneiras de se conhecer as duas cidades – Porto e Gaia.
Se você quiser ter uma visão geral e otimizar seu tempo, a mais confortável seria alugar um carro particular com motorista, isto é fácil de se conseguir no hotel. Gastam-se uns Euros a mais, mas é um conforto a que nos devemos permitir de quando em vez.
A outra seria utilizar um desses ônibus de turismo de 2 andares, daqueles que você compra bilhetes para 1 ou 2 dias, e tem direito a descer e subir quantas vezes quiser em pontos determinados, que sempre são próximos aos atrativos. É muito turístico? É, mas o que somos? Sem contar que a vista do andar superior destes ônibus é fantástica e nos permite grandes fotos, e que o Porto tem muitas ladeiras a subir, e assim nossas pernas agradecem.
De qualquer forma, dentre as atrações que a maioria já conhece ou ouviu falar, gostaria de destacar algumas no Porto:
1) A Igreja do Convento de São Francisco:
Há muitas igrejas lindas no Porto, mas a de São Francisco é imbatível. Tem exterior em arquitetura gótica com forte influência românica, do século 14. Mas é seu interior que surpreende, com talhas barrocas douradas dos séculos 17 e 18. Em frente à igreja, está a Casa do Despacho, que é o museu da Ordem de São Francisco. Há salas diversas, inclusive a Sala do Tesouro que é muito bonita, e o Cemitério Catacumbal, bem interessante.
www.ordemsaofrancisco.pt

Foto 2 -Igreja de São Francisco à direita. (Foto: Mônica Sayão)
Foto 3 -Um ‘uau” ao entrar na igreja… (Foto: Mônica Sayão)
Foto 4 -Ela é toda revestida de talha dourada (Foto: Mônica Sayão)
Foto 5 -Igreja de São Francisco: na primeira visita, fiquei até atordoada com tanta riqueza.
(Foto: Mônica Sayão)

2) A Ribeira:
Talvez seja a área mais visitada por turistas na cidade. Mas vamos convir: é imbatível!
Esta região é das mais antigas do Porto, por sua proximidade com o rio. A parte alta, em torno da Sé, sempre foi área nobre: como em todas as cidades que possuem elevação, foi lá que o Porto começou, por questões de segurança contra invasores. Mas a parte baixa, a Ribeira, foi crescendo paralelamente até ser o que é hoje: um emaranhado de ruas e ruelas super charmosas, e com muito para se descobrir.

Importante dizer que no século passado, a Ribeira estava degradada. Em 1974 o Comissariado para a Renovação Urbana da Área de Ribeira/Barredo elaborou um  projeto de recuperação, que terminou em 2003. Hoje é uma área encantadora, com ótimos hotéis e restaurantes, e uma vista linda do Douro e da Ponte D. Luis I. Sem falar na possibilidade de passeios de barco, que saem do cais ali mesmo: há várias opções, é só escolher.

Foto 6 – Final da tarde na Ribeira, cheia de restaurantes, e com barcos de turismo.
(Foto: Ana Paula Sayão)
Foto 7 – Praça da Ribeira com a escultura O Cubo ao centro. (Foto: Ana Paula Sayão)
Foto 8 – Cais da Ribeira: os barcos à espera dos turistas. (Foto Ana Paula Sayão)
Foto 9 – A Ribeira e suas fachadas com roupas a secar. (Foto: Mônica Sayão)

3) A Estação Ferroviária de São Bento:
Uma das mais lindas estações de trem do mundo, foi inaugurada em 1916, e fica bem próxima à Avenida dos Aliados, que é o principal eixo da cidade. Foi construída onde anteriormente havia o Mosteiro de São Bento, por isso foi batizada com o nome do santo. O que mais impressiona é seu interior, revestido de painéis de azulejos que mostram cenas da história de Portugal e também cenas cotidianas antigas do norte do país. É ter cuidado para não perder o trem…
www.cp.pt

Foto 10 – Estação de São Bento, com seus lindos painéis de azulejos. (Foto: Mônica Sayão)

4) O Palácio da Bolsa:
Também conhecido como o Palácio da Associação Comercial do Porto, foi construído no século 19, sobre os escombros do Convento de São Francisco, que foi destruído por fogo (só a igreja de São Francisco se salvou, intacta).
Hoje é utilizado para eventos sociais (casamentos, formaturas), culturais e políticos. Eu mesma estive em abril de 2016 no Palácio para a formatura da minha filha, no curso de MBA que fez na Universidade Católica do Porto. O jantar foi no Salão Árabe, o mais lindo de todos, e o nome já diz o estilo que leva. Pode-se fazer visita guiada no Palácio, acho que vale muito a pena conhecê-lo.
www.palaciodabolsa.com

Foto 11 – Pátio interno do Palácio da Bolsa (Foto: Mônica Sayão)
Foto 12 – Palácio da Bolsa: detalhe do teto de uma sala. (Foto: Mônica Sayão)
Foto 13- Palácio da Bolsa: Salão Árabe, o ponto alto do Palácio. (Foto: Mônica Sayão)

5) A Praça da Liberdade:
Esta é a praça mais importante do Porto, além da mais bonita pelo conjunto arquitetônico modernista do século 19 e início do século 20. Lugar de encontro de políticos e intelectuais, tem ao fundo a imponente Câmara Municipal do Porto, e logo aqui na frente, a estátua equestre de D. Pedro IV, que é o D. Pedro I dos brasileiros. É uma região bem central, próxima a vários atrativos turísticos. A construção mais antiga da praça é o Palácio das Cardosas, antigo convento dos Loios, hoje adaptado em Hotel Intercontinental, de onde tirei esta foto.

Foto 14 – Praça da Liberdade e Avenida dos Aliados: belo conjunto. (Foto: Mônica Sayão)

6) A Livraria Lello & Irmãos:
Tinha uma certa frustração de, em viagens anteriores ao Porto, nunca ter conseguido entrar na Livraria Lello. Coisas da vida, parece, mas eu sempre passava na porta de táxi, ônibus, carona, atrasada para algum evento, e assim minha visita ficava adiada.Em abril passado finalmente reservei uma manhã e lá fui eu. Agora a entrada é paga, mas dedutível com qualquer compra feita na loja. E mesmo assim, a livraria vive cheia de gente.
O prédio da Lello foi construído em 1906 para abrigar a livraria. Naquela altura os Lello já tinham reconhecimento como livreiros. A fachada é neogótica típica e já desperta uma certa curiosidade. Mas é ao entrar que a gente se depara com um ambiente arrebatador, todo de madeira trabalhada, com tantos detalhes de marcenaria que minha primeira reação foi ficar parada, tentando captar toda aquela beleza. O que dizer da escada? Ela é triunfal, não imagino outra qualificação a dar. Triunfo do desenho engenhoso e ao mesmo delicado, ela está ali no centro da loja, que não é muito grande, como uma rainha. Visita imperdível!
www.livrarialello.pt

Foto 15 – A fachada neogótica da Livraria Lello se destaca das demais.
(Foto: Mônica Sayão)
Foto 16 -Livraria Lello: espetacular! (Foto: Mônica Sayão)
Foto 17 – Escada em detalhe: incrivelmente bela. (Foto: Mônica Sayão)
Foto 18-Lello: detalhe do teto neste intrincado trabalho de marcenaria.
(Foto: Mônica Sayão)

7) Os Jardins do Palácio de Cristal:

Foi preciso minha filha morar no Porto para finalmente eu conhecer os jardins do Palácio de Cristal. Bem, preciso avisar que se você for lá esperando ver o lindíssimo palácio construído no século 19 para exposições e eventos, vai se decepcionar, porque hoje lá existe um pavilhão de esportes. Pois é, o palácio foi destruído em 1951. Coisas da vida…
O lado bom é que você vai ver um jardim lindo, ótimo lugar para passear ou ler um livro. E com vistas maravilhosas do rio Douro.

Foto 19- Jardins do Palácio de Cristal. (Foto: Mônica Sayão)
Foto 20-Jardins do Palácio de Cristal: que vista!!! (Foto: Mônica Sayão)
Foto21 – Jardins do Palácio de Cristal: não vale a pena visitar? (Foto: Mônica Sayão)

Eu também gostaria de falar sobre um outro Porto – menos conhecido e mais contemporâneo. É o bairro da Boavista – residencial, bastante arborizado – onde está a Casa da Música e a Fundação de Serralves.

Foto 22- Bairro de Boavista: muito simpático. (Foto: Mônica Sayão)

8) Casa da Música:
A Casa da Música tem uma história parecida com a da nossa Cidade da Música na Barra: o projeto é de um arquiteto estrangeiro, no caso português o projeto é do holandês Rem Koolhaas, reconhecido internacionalmente. Demorou a ser terminada por falta de verbas e por aí seguem as semelhanças… Tem arquitetura instigante e é a maior sala de concertos da cidade. Assisti a um espetáculo lá e foi maravilhoso.
www.casadamusica.com

Foto 23- Casa da Música de Rem Koolhaas: forma instigante. (Foto: Mônica Sayão)
Foto 24-Casa da Música: o antigo e o moderno juntos: excelente combinação.
(Foto: tilesforarchitects.com)

9) Fundação de Serralves:
A Fundação de Serralves, também no bairro de Boavista, é um dos lugares mais impactantes do Porto. Reconhecida hoje como uma das principais instituições culturais portuguesas, a Fundação tem como meta projetar nacional e internacionalmente a arte contemporânea e divulgar o seu notável patrimônio arquitetônico e paisagístico.
São 2 construções no meio de um parque deslumbrante, só “vendo para crer” – tudo isto no meio da cidade. A primeira construção é a casa da família dos antigos proprietários, no mais fantástico estilo artdéco. A segunda construção é projeto recente do maior arquiteto português, Álvaro Siza, e abriga o Museu de Arte Contemporânea.
http://www.serralves.pt

Foto 25 -Fundação de Serralves: casa artdéco ao fundo. (Mônica Sayão)
Foto26- Serralves: não pude resistir… esta rosa linda faz parte do Roseiral da Fundação.
(Foto: Mônica Sayão)

Sobre Vila Nova de Gaia, só vou dar uma dica, porque Gaia vai entrar no assunto do próximo post. Pois é, pessoal, vai ter uma segunda parte… ufa! Vou dar dicas de alguns hotéis e restaurantes no Porto e em Gaia e caves para visitação.

10)E a dica a que me referi é sobre o pôr do sol mais bonito das duas cidades, na minha opinião:
Atravessem a Ponte D. Luis I, e ao chegar a Gaia, comecem a fotografar. O Porto visto lá de cima é lindo, principalmente do Mosteiro da Serra do Pilar. Depois desçam até o Jardim do Morro, logo aí perto do final da ponte, e aguardem o pôr do sol, assim como muitos fazem. E depois me digam…

Foto 27- Atravessando a Ponte D. Luis I, em direção a Gaia, com o Mosteiro do Pilar ao fundo.
(Foto: Mônica Sayão)
Foto 28 – Foto do Porto a partir do Mosteiro da Serra do Pilar (Foto: Ana Paula Sayão)
Foto 29 – Esperando o pôr do sol no Jardim do Morro, em Gaia. (Foto: Ana Paula Sayão)
Foto 30 – Momento esperado! (Foto: Ana Paula Sayão)

Até a próxima!

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *