Encantadora Taormina – Parte 2

No post anterior falei um tanto sobre Taormina. A Pérola do Mar Jônico certamente também é a Pérola da Sicília, não só por ser uma charmosíssima cidade com lindas vistas, mas também pelas possibilidades de passeios próximos a ela. Não poderia deixar de mencioná-los.
Castelmola:
Se Taormina é pequena, Castelmola é micra. São aproximadamente mil habitantes instalados no topo de uma montanha a 550m acima do nível do mar e a 350m acima de Taormina. Pois é, Castelmola se debruça sobre Taormina, que se debruça sobre o mar.

Dando uma olhada na foto abaixo, dá para ter uma ideia do seu tamanho e de como está compactada sobre o topo de um penhasco.

O visual de Castelmola tirou meu fôlego na primeira visita.
(Fonte: Mônica Sayão)

O acesso até lá é feito a partir de Taormina por estrada estreita e cheia de curvas, algumas delas verdadeiras ativadoras de adrenalina. Mas quem não gosta de emoção? Eu adoro. Pode-se ir de ônibus local Interbus (ingressos comprados no terminal de ônibus de Taormina ou direto com o motorista ao entrar), de ônibus turístico hop on-hop off ou de carro. O ônibus local até que é divertido, mas só passa a cada 30min ou mais, dependendo da época do ano.
Não recomendo carro particular porque não vi opção de estacionamento público. Vi sim um ponto de taxi na praça principal e ir e voltar de taxi pode ser um conforto merecido e nem tão caro (aprox. 15 euros por pernada).
Ou então fazer como uma amiga e eu que resolvemos descer de Castelmola a pé, só para variar. No meio do caminho que parecia sem fim, um carro com um casal mais velho parou ao nosso lado e ofereceu carona. O casal era de estrangeiros que moram há anos em Taormina. Eram muito alegres e simpáticos e nos disseram que de lá nunca sairiam. Pareciam bem felizes, como não ser?

Esta é a praça principal de Castelmola. Aqui chegam os ônibus e param os táxis,  como o da foto. Nunca vi mais do que 3 táxis estacionados.
(Fonte: Mônica Sayão)
Uma placa logo na praça principal para ninguém ter dúvida do seu encanto.
(Fonte: Mônica Sayão)

Castelmola pertence à associação “I Borghi Piu Belle d’Italie” (As Aldeias Mais Lindas da Itália), que busca preservar e valorizar essas aldeias maravilhosas.
A cidade vive do turismo. Há alguns lugares para hospedagem, restaurantes, cafés e lojas de artesanato. Tudo charmoso e interessante.
Um produto típico da cidade é o “vino di mandorla” ou vinho branco com extrato de amêndoas e temperado com ervas aromáticas. É receita antiga que sempre pertenceu à família Turrisi de Castelmola, que até hoje o produz. Provei e aprovei!

Passear pelas ruelas de Castelmola é prazer único. Veja aqui o anúncio do Vino di Mandorla.
(Fonte: Mônica Sayão)
O restaurante da foto anterior fica em frente à Igreja de São Nicolau de Bari e de sua mais do que charmosa pracinha.
Da porta principal da igreja há lindas vistas de Taormina e do mar.
(Fonte: Mônica Sayão)
A gente vai andando por Castelmola e, de repente, dá de cara com este recanto
com a Igreja de São Jorge. Nada mais bucólico e encantador. (Fonte: Mônica Sayão)
Quase me esqueci de mostrar a vista: nada mal, certo? (Fonte: Mônica Sayão)

Passeio de barco:
Conhecer a costa de Taormina de perto e dar um mergulho nas suas águas tão azuis é um programão. Há dois lugares onde alugar barcos para um passeio pelo mar: em Isola Bella, logo abaixo de Taormina, e no porto de Giardini Naxos, onde estão e de onde partem a maioria dos barcos, e de onde saímos.
Contratamos o barco por 3h só para nosso pequeno grupo, o que foi ótimo. Há outras opções pré estabelecidas, com as da Viator, é só procurar na internet.

O porto fica no final da praia de Giardini Naxos. Estão vendo à esquerda um atracadouro? (Fonte: Mônica Sayão)
Praia de Giardini Naxos, próxima ao porto. (Fonte: Mônica Sayão)
Embarcamos no pequeno porto de Giardini Naxos. O resto do grupo optou
por tour ao Monte Etna. (Fonte: Mônica Sayão)
O barco segue próximo à costa contornando pitorescas ilhotas, inclusive
Isola Bella, a mais bonita da região.
(Fonte: Mônica Sayão)
Há várias grutas pelo caminho. A Gruta Azul é a mais famosa delas.
No dia do nosso passeio o mar estava revolto e isto foi o mais próximo que pudemos chegar.
(Fonte: Mônica Sayão)
Foi neste recanto que paramos para um belo mergulho. Delícia total!
(Fonte: Mônica Sayão)

Há vários outros passeios que podem ser feitos a partir de Taormina. Os dois que citei são os mais próximos que podem ser feitos em meio dia. O passeio ao Monte Etna é de dia inteiro, mas muito bonito e interessante. Afinal não é todo dia que a gente está próximo ao mais alto vulcão da Europa e um dos mais ativos do mundo.

Outra dica: se o leitor quiser conhecer várias locações onde foram filmadas cenas do Poderoso Chefão, o destino é Forza d’Agrò e Savoca, que ficam a 16 e 20km respectivamente de Taormina. Em Savoca, por exemplo, está o Bar Vitelli, onde Michael Corleone pede sua futura mulher em casamento.

Bar Vitelli, em Savoca, onde foi filmada cena antológica do Poderoso Chefão.
(Fonte: www.visitsicily.info)

Voltando à cidade de Taormina, ainda há dicas a dar. Não deixe de visitar o jardim público, conhecido como Villa Comunale di Taormina. Era a residência de uma nobre inglesa que viveu na cidade a partir de 1884 e que fez um lindo jardim na sua propriedade. Este jardim passou para a cidade de Taormina em 1922 e desde então qualquer pessoa pode visitá-lo. E entrada é gratuita e, na minha opinião, é visita imperdível pelo jardim em si e pelas vistas fantásticas do mar.

O jardim público. (Fonte: Mônica Sayão)
Vistas lindas a partir do jardim público. (Fonte: Mônica Sayão)
Inclusive da cidade de Taormina. (Fonte: Mônica Sayão)

No post anterior eu havia mencionado sobre as cerâmicas em Taormina. Elas estão em muitas cidades sicilianas, sempre irresistivelmente coloridas. Mas que chamam mais atenção em Taormina, isto é fato.

Muitos tipos e cores de cerâmicas, realmente difícil escolher.
(Fonte: Mônica Sayão)
Vocês entendem a dificuldade na hora da escolha?
(Fonte: Mônica Sayão)
Cerâmicas enfeitando restaurantes… (Fonte: Mônica Sayão)
Tentação nas lojas… (Fonte: Mônica Sayão)
Sacadas com curioso paisagismo e com vasos de cerâmica em forma de cabeças.
(Fonte: Mônica Sayão)
E cerâmica nas mesas dos restaurantes e bares. (Fonte: Mônica Sayão)

E como mencionei a mesa de cerâmica acima, tenho que falar sobre o Bam Bar. Este é um point na cidade porque o lugar é conhecido como a melhor granita de limão da Sicília. O que é granita? É basicamente a nossa “raspadinha”: sorvete de frutas, sem leite. O lugar fica sempre cheio e o dono adora um papo, especialmente para discorrer sobre seus amigos brasileiros, gente famosa, com certeza. Tomei a granita de limão e é realmente excelente.

O Bam Bar está sempre cheio. (Fonte: Mônica Sayão)

Há várias especialidades na culinária siciliana. Na área das gordices doces, a granita é uma delas. Biscoito de amêndoas ou o inusitado brioche com gelato também são. Mas o rei dos doces na Sicília é o cannolo, uma massa crocante em forma de tubo, recheada com massa à base de ricota e açúcar. Há variações, até cannolo de pistache comi. Dizem que o melhor da cidade é do Laboratorio Pasticceria Roberto. Roberto é um senhor muito simpático e o cannolo muito bom mesmo!

Sr. Roberto recheia o cannolo na hora de servir. Uma delícia!
(Fonte: Mônica Sayão)

Poderia continuar falando sobre esta cidade que tanto encanta.
É daquelas que dá sempre vontade de voltar, e olha que acabei de chegar de lá. Termino com uma última imagem que bem representa seu colorido e sua luz.

Já estou querendo retornar… (Fonte: Mônica Sayão)

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *