Düsseldorf, vale muito conhecer

Tenho tido a oportunidade de visitar a Alemanha muita vezes ao longo dos anos. Por motivo de trabalho (turismo) e também por motivos afetivos, posso dizer que conheço bem o país. Da minha lista de metas faltava uma, Düsseldorf, e lá fui eu visitá-la.

A Alemanha é dividida em 12 estados. Düsseldorf está localizada no estado de Nordheim-Westfalen (Renânia do Norte-Vestfália) onde também estão Colônia (Köln) e Bonn, todas elas nas margens do Rio Reno.

Colônia é a maior cidade do estado e conhecida por sua magnífica catedral gótica, das mais lindas do mundo.

Bonn foi capital provisória da Alemanha Ocidental de 1949 até a unificação das duas Alemanhas, em 1990.

Enquanto isso, Düsseldorf se transformou num dos principais polos econômicos alemães, reconhecida hoje como a cidade mais rica do país.

A proximidade da principal região produtora de aço, da antiga capital Bonn, e também o fato de ter sido pouco atingida durante os bombardeios na Segunda Guerra, fizeram de Düsseldorf a escolha natural para ser a capital do estado da Renânia do Norte-Vestfália.

Mapa com os 12 estados da Alemanha. Dusseldorf encontra-se próxima das fronteiras com Bélgica e Holanda.
(Fonte: phigeland.com)

A cidade é o polo da moda alemã, das empresas de propaganda, das feiras empresariais, do comércio de arte, e tem um centro financeiro só inferior ao de Frankfurt. É muito cosmopolita, as pessoas são elegantes, a arquitetura contemporânea impressiona. Há museus excelentes. E também um centro histórico charmoso, que fica ao lado do centro propriamente dito. Há centenas de restaurantes e bares por toda a cidade, e a vida noturna lá é bem animada. Sem contar os bairros lindos para ter uma casa, vários à beira do Reno. Muitas áreas verdes completam esse cenário que estou descrevendo, e que mostra como Düsseldorf me encantou!

Vou começar pelo centro da cidade. Aliás, apesar de Düsseldorf ter 600 mil habitantes, a cidade tem uma escala horizontal, com poucos prédios altos, o que, na minha opinião, a torna mais aconchegante. A avenida principal é a Avenida Königsallee, distribuída por seis quarteirões e dividida por um canal arborizado. Esta é a rua das lojas sofisticadas e dos escritórios de poderosas empresas, e caminhar por seus calçadões é algo a se fazer pelo menos uma vez como turista.

Avenida Königsallee, a mais importante do centro, onde encontra-se o comércio elegante da cidade. (Fonte: Mônica Sayão)
Calçadão da Av. Königsallee: vale a pena caminhar por ele. (Fonte: Mônica Sayão)

A Av. Königsalle termina numa bela praça que encosta num lindo parque, o Hofgarten, o parque principal de Düsseldorf, com direito a bucólico lago com seus patinhos. E é aí que foi construído o Kö-Bogen, complexo que abriga shopping, restaurantes e cafés. Com arquitetura maravilhosa, foi inaugurado em 2013 com projeto de Daniel Libeskind, arquiteto do novo One World Trade Center em NYC, entre outros trabalhos.

Kö-Bogen, projeto fantástico de Daniel Libeskind, bem no centro de Düsseldorf.
(Fonte: Mônica Sayão)
Lago do jardim Hofgarten, bem bucólico. (Fonte: Mônica Sayão)

A partir do Hofgarten, uma pequena caminhada para se chegar ao centro antigo, a Altstadt. Há diversas ruas simpáticas, com suas construções antigas. É nessa área que encontramos a prefeitura e também a Basílica de St. Lambertus.

Ruas simpáticas do centro histórico. (Fonte: Mônica Sayão)
A prefeitura, localizada na Marktplatz, a praça principal dos tempos medievais.
(Fonte: Mônica Sayão)
Torre da Basílica de St. Lambertus: foi o melhor ângulo que consegui da sua fachada porque é rodeada por construções bem próximas.
(Fonte: Mônica Sayão)
Interior da basílica , construída no século XIV. (Fonte: Mônica Sayão)

Um dos grandes atrativos de Düsseldorf, pelo menos para os locais, é o Rheinuferpromenad. Trata-se de uma esplanada ao longo do Rio Reno, bem próximo da prefeitura, onde há muitos restaurantes e cafés, e espaço suficiente para andar de bicicleta ou simplesmente caminhar. Basta fazer um dia de sol e esse espaço fica cheio de gente! É muito agradável, principalmente no final da tarde.

A esplanada ou passarela na beira do Reno, onde os locais se exercitam, batem um papo, almoçam ou simplesmente
esperam o pôr do sol. (Fonte: Mônica Sayão)
Mais da esplanada, nesta parte com vários restaurantes. (Fonte: Mônica Sayão)

Deixando o centro de Düsseldorf, há outra área de grande interesse, a MedienHafen, antiga zona portuária completamente reformada, onde há construções incríveis projetadas por Frank Gehry. Passei horas nesse bairro, encantada com as soluções arquitetônicas não só do Gehry, mas de outros tantos profissionais. Um lugar delicioso para conhecer. Há hotéis e várias opções de restaurantes. É uma região onde vi mais gente jovem morando, casais com filhos, num ambiente bem descontraído.

MedienHafen, com os prédios de Frank Ghery: visão impactante.
(Fonte: Mônica Sayão)
MedienHafen, de outro ângulo: antigo porto reformado. (Fonte: Mônica Sayão)
Outras construções interessantes nesse bairro. Repare no prédio à direita.
Mais detalhes na próxima foto. (Fonte: Mônica Sayão)
Detalhe super criativo da fachada. (Fonte: Mônica Sayão)
Rua interna do bairro de MedienHafen: ainda os prédios de Frank Ghery, sob outro ângulo.
(Fonte: Mônica Sayão)

Para completar o passeio, uma subida ao topo da torre é uma boa pedida porque de lá de cima tem-se uma visão privilegiada da cidade. Ela é a Rheinturm, com 234m de altura.

A Rheinthurm, torre de onde se tem vista completa da cidade. (Fonte: Mônica Sayão)
Vista do MedienHafen. (Fonte: Mônica Sayão)
Vista do centro de Düsseldorf. (Fonte: Mônica Sayão)

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *