Dresden – a pérola do Rio Elba (parte II – final)

Sei que o Natal já passou. Aliás, se a gente der uma cochilada, o carnaval terá passado também. Mas meu post sobre Dresden não estaria completo sem falar sobre as feiras de Natal.
A Alemanha é imbatível no quesito “feiras natalinas”. Pode ser que eu vá causar polêmica: sei que as austríacas são lindas e também as da Alsácia, só para citar algumas. Mas depois de visitar muitas pela Europa, em anos diferentes, não tenho dúvidas.

Vista geral da mais famosa feira de Natal de Dresden: a Striezelmarkt.
(Fonte: Ana Paula Sayão)

As feiras acontecem na maioria das cidades alemães, grandes ou pequenas. Começam 4 semanas antes do Natal, no período do Advento, e terminam depois do dia de Reis, em 6 de janeiro. O que mais me chama a atenção é o espírito reinante nessas feiras.
Lá está a tradição do povo alemão ao longo dos séculos, sejam católicos ou protestantes, seja numa metrópole como Berlim ou num vilarejo. As feiras são lugares de confraternização do próprio povo local. Em barracas decoradas e iluminadas encontra-se o Glühwein (o vinho quente com especiarias, uma tradição), bolos, biscoitos, salsichas de todo o tipo, os mais variados enfeites de Natal, artesanato, gorros, luvas etc. Tudo isso embalado por músicas e corais natalinos, que completam a atmosfera mágica.
São 3, as feiras de Natal de destaque em Dresden: a da praça da Frauenkirche, a da Stallhof, e a Striezelmarkt – esta última a grande atração de Dresden no Natal. As 3 estão localizadas no centro histórico, próximas entre si.
A feira em frente a Frauenkirche (Igreja de Nossa Senhora) é pequena, mas linda e bucólica. Muito charmosa, com produtos de ótima qualidade, ela se espalha pela praça de forma orgânica, sem alinhamentos, sempre com a igreja de pano de fundo. Nada mal, não?

Final da tarde na feira de Natal da praça em frente à Frauenkirche
(Igreja de Nossa Senhora) em Dresden.
(Fonte: Mônica Sayão)
Uma grande confraternização com mesinhas para se comer de pé em frente a Frauenkirche.
(Fonte: Mônica Sayão)
Amêndoas, nozes, castanhas de caju, pecans, avelãs, amendoins… tudo isso caramelizado e quentinho. Uma perdição total!
(Fonte: Mônica Sayão)
Fui pega no flagrante comendo minhas amêndoas caramelizadas. Delícia!!!
(Fonte: Ana Paula Sayão)
Enfeites de Natal de todo tipo, sempre muito charmosos e delicados.
(Fonte: Mônica Sayão)
A gente fica com vontade de comprar tudo!!!
(Fonte: Mônica Sayão)

A segunda feira de Natal imperdível de Dresden é a surpreendente feira medieval Stallhof, que acontece no pátio das cavalariças do rei. Quando cheguei lá pela primeira vez, à noite, parecia que tinha sido transportada para a Idade Média! As luzes baixas, a música clássica, a decoração e trajes de época dos expositores… tudo criava um clima mágico! É uma feira completamente diferente das demais, onde tudo, inclusive os produtos à venda, remetem a séculos passados.

Entrada da Stallhof – feira medieval no pátio das cavalariças do rei.
(Fonte: Ana Paula Sayão)
A decoração da feira medieval remete aos tempos antigos e os produtos à venda também.
(Fonte: Ana Paula Sayão)
Carnes e salsichões na brasa para todos os paladares.
(Fonte: Mônica Sayão)
Pátio onde originalmente ficavam os cavalos do rei, com o Palácio Real ao fundo.
(Fonte: Ana Paula Sayão)
Bandeiras compondo a decoração dos tempos medievais.
(Fonte: Mônica Sayão)
Ferreiro mostra seu trabalho feito artesanalmente.
(Fonte: Ana Paula Sayão)

A terceira, maior e mais famosa feira de Dresden é a Striezelmarkt, tida como a mais antiga da Alemanha,  e que remonta ao ano de 1434! Sempre figura nas listas das melhores e mais bonitas. E não é para menos, ela é puro encanto! Quando a noite chega, então, dá vontade de bater palmas de tanta beleza.

A decoração é deslumbrante, tudo brilha, com muito bom gosto e charme. Há uma roda-gigante, que nem é gigante, e que se encaixe perfeitamente nas proporções da feira como um todo.

Entrada da maior feira da cidade: sempre animada!
(Fonte Mônica Sayão)
A roda-gigante tem proporção perfeita e amei andar nela!
(Fonte: Mônica Sayão)
Vista linda a partir da roda-gigante!
(Fonte: Ana Paula Sayão)

A região de Dresden é conhecida por artesanato em madeira e também pelas rendas. E pelas maravilhosas porcelanas da vizinha Meissen.
Dresden também é conhecida pelo Stollen – pão alongado com frutas secas, sempre presente nas mesas natalinas alemães. No segundo sábado do Advento, acontece na cidade o Festival do Stollen, quando um gigantesco pão é feito na rua e vendido ao público para caridade.

Difícil escolher…
(Fonte: Mônica Sayão)
Tudo com muito bom gosto e delicado.
(Fonte: Ana Paula Sayão)
Trabalho em madeira clara, típico da região.
(Fonte: Mônica Sayão)
Rendas deslumbrantes, feitas na região.
(Fonte: Ana Paula Sayão)

A decoração das barracas é um capítulo à parte. A gente fica com a impressão que elas estão ali competindo para ver quem faz mais bonito.

Decoração linda e criativa das barracas.
(Fonte: Mônica Sayão)
Mais um exemplo de decoração.
(Fonte: Mônica Sayão)
Aqui tem o Glühwein, o vinho quente com especiarias que todos bebem!
(Fonte: Mônica Sayão)
E aqui tem, entre outras delícias, o Currywurst – salsichão com curry muito apreciado em Berlim e Dresden.
(Fonte: Ana Paula Sayão)
Stollen, pão de frutas originário de Dresden.
(Fonte: Mônica Sayão)
E para finalizar, os biscoitos de Natal nos mais diversos formatos.
Que Papai Noel simpático! (Fonte: Ana Paula Sayão)tão rigoroso

As feiras de Dresden são mais um bom motivo para visitarmos a cidade no inverno, que nem é tão rigoroso, graças às mudanças globais do clima. A cidade se transforma e se ilumina. Fica ainda mais irresistível.

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *