Bamberg: uma joia na Bavária

A Bavaria é o maior estado alemão e certamente um dos mais ricos. Aliás, aqui cabe uma explicação: Bavaria é a palavra usada pelos alemães e Baviera pelos brasileiros, que adotaram a tradução de “Bavière”, que é a versão francesa.

Mapa do estado da Bavaria (imagem maior), e sua posição geográfica em relação à Alemanha
(imagem menor à direita) (Fonte: www.rachelgoestoparis.blogspot.com.br)

Quando a gente pensa em Bavaria, logo fazemos associação com Munique, a bela capital do estado ou com a Rota Romântica, deslumbrante estrada criada após a Segunda Grande Guerra, para incrementar o turismo alemão e que tem Rothenburg ob der Tauber como sua estrela maior. Mas, como em toda a Alemanha, há centenas de outras cidadezinhas deslumbrantes, e uma das minhas favoritas na Bavaria é Bamberg. É pouco conhecida por nós, brasileiros, mas imperdível!
Bamberg é dessas cidades que a gente visita e não quer ir embora. Possui 75 mil habitantes e localiza-se 227km ao norte de Munique. O leitor pode argumentar que a distância da capital é um pouco grande em termos de Europa, mas a minha sugestão é que, uma vez em Bamberg, se conheça também as cidadezinhas próximas: Nuremberg, assunto de meu próximo post, fica 62km ao sul, e  Rothenburg ob der Tauber fica 95km a oeste. Estas três cidadezinhas figuram nas listas de mais bonitas da Alemanha e são absolutamente encantadoras!
Pouco atingida pela Segunda Guerra (5% foi danificada), Bamberg tem seu centro histórico muito bem preservado e tombado como patrimônio da Unesco desde 1993. Foi construída sobre 7 colinas, assim como Roma, e foi documentada pela primeira vez em torno do ano 1.000.

Bamberg: a primeira imagem é impactante! (Fonte: Mônica Sayão)

Principais atrações:
1ALTES RATHAUS (Antiga Prefeitura):
Esta talvez seja a maior atração da cidade, construída sobre o rio Regnitz, que corta Bamberg. Diz a lenda que o bispo local não deu terras para que a prefeitura fosse construída séculos atrás. Então a população local criou uma ilha artificial no meio do rio onde afinal a prefeitura foi erguida. Lenda ou não, a construção é inusitada e belíssima! O grupo que eu acompanhava ficou em choque com esta primeira imagem do centro histórico.

Bamberg e sua antiga prefeitura: a imagem mais icônica da cidade.
(Fonte: Mônica Sayão)
A prefeitura com sua fachada pintada. Linda! (Fonte: Mônica Sayão)
A gente atravessa de uma margem à outra do rio através da antiga prefeitura, que fica sobre uma ilha artificial. (Fonte: Mônica Sayão)
O rio Regnitz atravessa Bamberg e a divide em parte baixa e plana à esquerda e parte alta (à direita) que é a área mais nobre da cidade, onde estão as mais importantes construções antigas, como a catedral. (Fonte: Mônica Sayão)
Subindo a ladeira para chegar à catedral de Bamberg. (Fonte: Mônica Sayão)
Fachadas elegantes pelo caminho. (Fonte: Mônica Sayão)

2 – DOM (Catedral):
A  catedral  de  São  Pedro  e  São Jorge  foi  construída  em  1012,  a  mando  do imperador Henrique II. Infelizmente foi destruída por incêndio, assim como a segunda  construção  da catedral. O prédio que vemos  agora  foi  a  terceira  construção, do século 13. Tem  como  destaque as  tumbas  do imperador  Henrique II (morto em 1024) e  de  sua  esposa, e  a  tumba  do  Papa Clemente II (1005-1047), o único Papa a ser enterrado na Alemanha.

Interior da catedral de São Pedro e São Jorge. (Fonte: Mônica Sayão)
Detalhe do altar. (Fonte: Mônica Sayão)

3 ALTE HOFHALTUNG  (Antiga Administração da Corte):
A construção  começou  como  uma  fortaleza. Depois, um palácio foi  anexado  e  passou  a  ser  a  residência  dos  bispos  nos  séculos 16 e 17.  Hoje abriga o Museu  Histórico  de  Bamberg  e  a  Capela de Santa Catarina. O que mais chama atenção mesmo são suas maravilhosas fachadas medievais e as inúmeras floreiras que dão um colorido especial à construção.

Alte Hofhaltung (Antiga Adm. da Corte) de Bamberg. (Fonte: Mônica Sayão)
Construção e floreiras impecáveis se complementam. (Fonte: Mônica Sayão)

4NEUE RESIDENZ (Nova Residência):
Do outro lado da Praça da Catedral está este magnífico palácio renascentista que foi residência dos bispos e onde os imperadores se hospedavam durante visita à cidade. Hoje abriga um museu e galeria de arte. Destaque para o Jardim das Rosas, na parte de trás do Residenz, onde também há linda vista da cidade.

Neue Residenz (Nova Residência)
Jardim atrás da Neue Residenz. (Fonte: Mônica Sayão)

5 KLOSTER ST. MICHAEL (Mosteiro de São Miguel):
O monastério beneditino foi fundado em 1015 por determinação do imperador Henrique II.  Assim como a catedral, o mosteiro sofreu com incêndios e foi reconstruído e reformado até apresentar o aspecto atual, com fachada barroca. A visitação não está permitida atualmente, por causa de serviços de restauração. Vale muito a vista da cidade a partir do pátio atrás da igreja. Curiosidade: a produção de cerveja em Bamberg começou com os monges beneditinos e, por causa desta importância histórica, o Museu da Cerveja encontra-se hoje dentro do mosteiro.

Os jardins da Residenz, com o Kloister St. Michael ao fundo. Esta foto foi tirada no final de outubro, este o motivo de poucas rosas. No verão fica lindo!(Fonte: Mônica Sayão)

Já que falei de cerveja, Bamberg é conhecida por sua cerveja defumada, a Rauchbier, única no mundo, e que só é fabricada lá.
Há nove fabricantes de cerveja localizadas dentro dos limites de Bamberg  e que produzem mais de 50 tipos diferentes da bebida. A Rauchbier é a mais popular e famosa. Dizem que ela tem gosto de bacon. Minha opinião? Não sei, não tomo cerveja… Na realidade elas são feitas seguindo a receita de antigamente: o processo de secagem da cevada era feito próximo às chamas do fogo, já que o clima não permitia que secassem ao tempo. As cervejas nos tempos antigos eram basicamente Rauchbier. Com a chegada de técnicas modernas, a produção de cerveja defumada foi deixada de lado, menos em Bamberg.
A cervejaria mais conhecida da cidade é a Schenkerla, a melhor produtora da Rauchbier. Tentamos almoçar lá, mas foi impossível. Sua fama é diretamente proporcional ao número de pessoas que querem conhecê-la.
De qualquer modo, fica a dica da Hofbrau, onde almoçamos e que fica próxima à prefeitura. E onde é vendida a Schenkerla Rauchbier….

A Pequena Veneza de Bamberg. (Fonte: Mônica Sayão)

6 – KLEIN VENDIG (Pequena Veneza):
É chamada de Pequena Veneza a região de casas do século 19, originalmente de pescadores, alinhadas ao longo da margem do rio Regnitz. Hoje são um atrativo turístico da cidade. A alusão à Veneza se deve ao fato de Bamberg ter vários canais e pontes.
Quase me esqueci de dizer que Bamberg tem uma excelente Orquestra Sinfônica e vale sempre ver com antecedência sua programação de concertos.
Depois me contem!

Hofbrau, um dos muitos restaurantes/cervejarias de Bamberg.
(Fonte: Mônica Sayão)

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *