As 10 cidadezinhas mais bonitas da Alemanha

Tenho uma queda por cidadezinhas que parecem ter parado no tempo. Tarefa difícil escolher as 10 mais da Alemanha, país que tem uma grande quantidade delas. Há unanimidades como Rothenburg ob-der-Tauber, mas são tantas e tão lindas, que certamente haverá controvérsias… Meu parâmetro será vilarejos com menos de 50 mil habitantes. Já me ajuda na escolha.
Então lá vai e depois me digam se concordam ou sugerem outras, ok?

1 – Rothenburg-ob-der-Tauber: Esta é a tal que consta em todas as listas das mais bonitas, e com razão. Tudo contribui: localização (é a estrela da Rota Romântica, roteiro criado na Baviera depois da 2ª Guerra Mundial, com o intuito de alavancar o turismo numa Alemanha destruída), tamanho (tem aproximadamente 11 mil habitantes) e situação (é murada e suas ruas e casas parecem ter saído de um conto de fadas). Aliás, felizmente o pouco dela que foi destruído durante os bombardeios da 2ª Guerra, foi reconstruído com ajuda internacional.

2 – Dinkelsbühl: Também na Estrada Romântica, 30km ao sul de Rothenburg ob-der-Tauber, e ainda menor em tamanho e população, é menos conhecida e por isso tem menos turistas, o que é uma vantagem se for na alta estação… Suas casas são muito coloridas, o que dá um charme especial ao lugar.

3 – Rüdesheim am Rhein: Localizada à margem do Rio Reno, além de lindinha, é rodeada por vinhedos. Pode-se inclusive pegar um cable car que passa sobre os vinhedos até o Niederwalddenkmal, monumento histórico, no topo da colina, de onde se tem vistas fantásticas de Rüdesheim e do Reno. Lugar é muito florido e cheio de garrafas de vinho branco!!!

4 – Cochem: À beira do rio Mosela, Cochem encanta por seu castelo e também por suas ruazinhas com casas em estilo enxaimel. O castelo que vemos hoje não é o mesmo que existia no local desde o século 12. Este foi destruído pelo exército de Luís 14, rei da França, em 1689. Após ficar em ruínas por quase 200 anos, o castelo foi reconstruído em estilo neogótico como residência de verão de Louis Ravené, um rico negociante de Berlim. Independente dos méritos arquitetônicos, o castelo é imponente e domina a cidadezinha abaixo.

5 – Mittenwald: quase na divisa com a Itália, nos Alpes alemães, próxima à Garmisch Partenkirchen, encontra-se esta cidadezinha de 8 mil habitantes. Assim como em Garmisch, tem as fachadas de suas casas desenhadas e pintadas, tudo muito colorido. Está a quase mil metros de altitude e é rodeada por montanhas, que dão charme extra ao lugar. Mittenwald também é conhecida como a cidade dos violinos, por sua histórica tradição em confeccioná-los. Aliás, há o Museu do Violino, que é pequeno mas muito interessante.



6 – Meissen: cidade de 30 mil habitantes a 25km ao norte de Dresden, Meissen foi construída ao longo do rio Elba. Sua fama advém da porcelana de Meissen, celebrada mundialmente, mas mesmo sem a fama da porcelana, mereceria uma visita pela sua arquitetura e pelo castelo do século 15.



7 – Staufen im Bresgau: Staufen completa minha lista de cidadezinhas no sul da Alemanha. Ela fica na Floresta Negra, ao sul de Freiburg (outra cidade incrível, mas em outra categoria por ser maior). Possui 8 mil habitantes e também parece saída de um conto de fadas.


8 – Wernigerode: Localizada ao sul de Hanover, já no norte da Alemanha, na região montanhosa do Harz. Possui aproximadamente 35 mil habitantes e fica próxima a Goslar e Quedlinburg – as 3 juntas têm fama de serem o maior conjunto de casas em estilo enxaimel da Alemanha. O castelo de Wernigerode domina a cidade e está em muito bom estado para visitação. As feiras de Natal nessas 3 cidades são famosas, e tive a oportunidade de visitá-las nessa época. Lindo demais!


9 – Goslar: além da similaridade com Wernigerode, Goslar ainda tem uma característica que a diferencia: não somente foi uma cidade rica no passado por causa das minas de prata e zinco, como os imperadores do Sacro Santo Império Romano fizeram dela sua residência por 300 anos, a partir de 1039. A Unesco listou 1.600 casas em estilo enxaimel.

10 – Quedlinburg: Foi aqui que o rei Henrique I foi coroado em 919 A.D. sendo essa a primeira vez que a Alemanha foi governada por uma só pessoa. A cidade foi muito próspera devido às minas de prata e cobre da região. Tinha um mercado importante que rivalizou com Colônia na Idade Média. A Unesco listou 1.300 casas em estilo enxaimel.

O leitor agora conhece minhas preferências. Mas estou pronta para acatar outras sugestões!

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *