O politicamente correto e a terra quadrada

Alguns conceitos e ideias, quando espalhados pelo ar, por mais bizarros que sejam, acabam indo parar dentro do cérebro permeável dos PC’s (politicamente corretos) e grudam como chiclete no sol, não saem nunca mais.

Um deles, o conceito de informação verdadeira, por exemplo, se transformou numa obsessão maligna.

De repente, o mundo está invadido por agências checadoras de fatos, patrulheiros da verdade e outros bichos do tipo.

Experimentem postar por aí, no Face ou Insta, uma imagem de um edifício ruindo sem texto algum, apenas um nome: Edifício Rivotril, por exemplo.

Imediatamente, soa um alerta no cérebro dos amantes da verdade absoluta que saem, espavoridos, a pesquisar nos googles e duckducks tudo sobre o tal edifício.

Data de fundação, número de moradores, se houve atentado, porque ruiu, cor da cueca do fotógrafo, tudo é checado pelos paladinos da veracidade absoluta.

Se, para o azar de quem postou, a imagem é de um mês atrás, o alerta vira buzina, e o povaréu corretinho começa a gritaria, feliz e faceiro: É FAKE! É FAKE!

É FAKE! Isso mesmo, em maiúsculas, que é pra dar ênfase ao crime do pobre coitado e mostrar que o patrulheiro está gritando alguns tons acima.

A armadilha da esquerda para encobrir seus próprios atos sujos funcionou.

E como!

Tudo vira FAKE, para esquerdinhas enlouquecidos, direitinhas sem noção e até isentões permeáveis.

Para infelicidade desses gajos que adorariam que o mundo fosse quadradinho, com tudo devidamente rotulado e encaixado, a realidade é bem diferente.

Num mundo encharcado de informações, até grandes jornalistas erram.

Os fatos, um a um, dependem e são divulgados de forma opinativa, e nem sempre correspondem fielmente ao acontecido.

Isso estamos todos carecas de saber, e de constatar igualmente: a informação sempre foi manipulada, aqui e no mundo.

Basta imaginar a quantidade de lixo e mentiras que engolimos antes da internet.

Manipuladores como a rede globo, por exemplo, não são novidade, pelo contrário.

Mas hoje, os patrulheiros da verdade querem tudo certinho.

Mais fácil de entender, não é mesmo?

Só se esquecem que o mundo não evoluiu graças aos carimbadores ou conformistas.

O mundo evoluiu graças aos criativos, aos loucos, aos que desafiaram o politicamente correto.

Não teríamos eletricidade se dependesse deles, tava bom com lampião.

Eles só se esquecem, em sua sanha carimbativa, de que a própria premissa básica de sua existência, a de que a terra não é plana e nem redondinha (o que poderia causar escorregadelas e acidentes, deusmelivre) e sim bem quadrada, com oito cantos perfeitinhos, funcionais e com o devido registro em cartório, É FALSA.

Talvez um dia, assombrados, descubram que o mundo, esse nosso, é cheio de imperfeições.

E que faz parte da vida, e da imprensa, lidar com elas.

O primeiro a mostrar ao mundo essas imperfeições foi crucificado.

E seria novamente, a depender desse povo chato.

*Em tempo: registrei este texto em cartório em vinte vias devidamente autenticadas, e carimbadinhas.

Tá bom assim?

Fonte: www.marcoangeli.com.br

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *