Chevrolet cria Cruze de 300cv para o Salão de SP


Uma das coisas de que sempre gostei nos salões do automóvel são os chamados carros-conceito. Modelos criados pelos designers e engenheiros das montadoras e que, muitas vezes, ainda estão naquele estágio de desenvolvimento em que a criatividade conta mais pontos que a lógica de mercado. E isso pode se traduzir em linhas delirantes e totalmente diferentes do que vemos nas ruas, recursos impensáveis e até mesmo a indicação de alguma nova tecnologia que ainda não chegou – e que, não raro, nunca chegará. Acho que, no fundo, É na criação desses automóveis que esses designers e engenheiros mais se aproximam daqueles sonhos que tinham quando eles era crianças, daquela vontade quase infantil de “fazer um carro que ninguém nunca pensou em fazer”. E, muitas vezes têm a intenção pura e simples de causar impacto no público, mostrar a ousadia da marca, sem maiores pretensões de que os carangos circularem no mundo real.

Chevrolet Cruze Sport6 SS | divulgação

Testando o respeitável público
É claro que os carros-conceito não se prestam apenas a isso. Na verdade, esses “delírios totais” são minoria entre o que vemos por ali. Afinal, costumam custar muitos milhões para serem feitos e, em termos práticos, funcionam também como uma espécie de pesquisa de campo para certos caminhos – não só em relação à reação do público no local, mas também da mídia e, hoje, nas redes sociais.
Nesse espírito, muitas vezes as montadoras criam versões conceituais (ou experimentais) de modelos que já fazem parte de seu cardápio nas lojas. E, assim, baseados em um carro “comum”, surgem versões incrementadas e inéditas, nas quais acabamentos, acessórios e, com sorte, uma boa dose de pimenta sob o capô é o grande atrativo. As versões aventureiras de quase todas as marcas, por exemplo, surgiram assim, em conceitos de salão. Muitas das esportivas também.

Chevrolet Cruze Sport6 SS | divulgação

Vestido para divertir
Esse é o caso do Chevrolet Cruze SS das fotos acima. Ele foi criado pela GM aqui no Brasil, tendo por base a versão Sport6 que está no mercado – e, claro, a versão SS que estará à venda nos EUA em 2019. As diferenças, porém, são muitas, a começar pela potência: enquanto no modelo americano o motor 1.4 turbo renderá cerca de 200cv, o “nosso” foi preparado para oferecer 300cv e tem sua parte interna e acabamentos modificados para reforçar a pegada esportiva. As rodas são de aro 20, o aerofólio traseiro ficou maior e os bancos são do tipo concha, de competição.
Na prática, o que esse Cruze Sport6 SS traz de mais “real” são os pequenos retoques que a linha comum vai sofrer em 2019, principalmente nos faróis, grade e para-choques.

Carro equilibrado e bom de dirigir, o Sport6 vendido aqui vem com o mesmo motor, só que ajuizado para 153cv. (veja o nosso test-drive da versão atual na janela acima). Pensar em um carro parecido, com suspensão um pouco mais dura e 300cv não deixa de ser estimulante. Mas, se um dia realmente chegar ao nosso mercado – o que sinceramente acho improvável –, uma versão SS do Cruze dificilmente teria toda essa disposição. Isso fica só no conceito.
Fonte: Blog Rebimboca

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *