PT nunca mais


Para vocês que batem no peito em defesa do Haddad, aqui vai o que eu penso.
Ninguém pediu a minha opinião, mas como tenho lido a opinião de vocês sem ter pedido também, tenho o mesmo direito.
Se alguém me excluir do Facebook por eu ter expressado a minha opinião, só demonstra o quanto entende pouco de democracia.
Mas você tem todo o direito.
Votei no PT por 11 anos. Trabalhei para o PT, elegi um prefeito petista em Poços, fiz campanha de graça para o PT.
Convenci amigos e familiares com a minha voz apaixonada, minha convicção verdadeira. Eu acreditava na distribuição de renda, na igualdade social, na democracia. Até que um dia, comecei a perceber a burrice que eu tinha feito.
Foi uma decepção atrás da outra. Aqueles em quem eu confiava que jamais seriam corrompidos (porque era este o lema deles), estupraram os cofres públicos e a moral dos brasileiros. Incentivaram a ignorância no nosso país, assassinaram companheiros em nome do sigilo dos seus verdadeiros atos e intenções.
Enriqueceram e riram da nossa (ou minha) absurda ingenuidade e impotência social e cívica.
Eu posso falar mal do Lula e do PT o quanto eu quiser porque fui traída por eles, assim como milhões que como eu, fomos estúpidos o suficiente para acreditar. Fomos jovens demais para pensar que havia um pingo de decência nas intenções daquele plano de governo tão lindamente escrito com propostas que desejávamos, mas que jamais seriam colocadas em prática, a começar por colocando os “marajás na cadeia”. Hoje, quem está atrás das grades é ele, o maior canalha que a política brasileira já conheceu.
Eu parei de votar há muitos anos, decepcionada e traída por estes bandidos do grupo do Haddad então, mesmo que eu voltasse a votar agora, JAMAIS DARIA MEU VOTO DE CONFIANÇA A QUALQUER PESSOA LIGADA A ESTA CORJA DE BANDIDOS, LADRÕES E ASSASSINOS.
Já deixei claro, acima, a minha experiência pessoal com o PT, o porquê do meu profundo e doloroso repúdio por este partido e o quanto me dói ver pessoas esclarecidas e jovens sendo tão manipuladas e enganadas pela mesma ladainha que arrebentou o Brasil nos últimos 18 anos.
Mas o que me preocupa mesmo é pensar no amanhã… No dia em que duas imensas massas de eleitores fervorosos irão às ruas na última tentativa de fazer valer a sua escolha. Os nervos estão perigosamente aflorados.

Se o povo não consegue discutir futebol sem terminar em briga; se não atura opiniões diversas que já discute e ofende nas redes sociais, falar de política no dia de eleições não promete boa coisa.
Porém, se foi possível que em uma guerra real, lados opostos dessem as mãos, que este exemplo prevaleça amanhã.
Que os brasileiros saibam respeitar a opinião alheia, que não se rendam à provocações de nenhum lado, que relevem toda e qualquer tentativa de confronto porque, afinal, somos todos iguais, vivemos todos numa mesma nação e seremos todos sujeitos ao mesmo governo.
Somos irmãos de Pátria, querendo ou não.
Viva a paz!!

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *